Gazeta Digital

Luisa Mell aponta que queimadas no Pantanal são de natureza criminosa

Khayo Ribeiro

Khayo Ribeiro

Ativista pelo direito dos animais, Luisa Mell afirmou que as queimadas no Pantanal têm sido causadas de forma criminosa, por conta da ação do homem. A fala da militante foi feita após reunião com o Executivo estadual na tarde desta sexta-feira (25), no Palácio Paiaguás.

 

Com 20% da área total consumida pelos incêndios, o Pantanal mato-grossense tem enfrentado nos o pior cenário de queimadas dos últimos anos. Conforme informações da Polícia Civil, grande parte dos focos de queimadas do bioma registrados no estado de Mato Grosso do Sul tem origem ligada a grandes produtores rurais.

 

Leia também - Mais de 100 mil pessoas se recuperaram da covid-19 em Mato Grosso

 

Agravante das queimadas, a seca enfrentada pelo Pantanal nestes últimos meses tem sido a mais severa registrada no bioma nos últimos 50 anos. Dessa forma, o aumento excessivo de focos de incêndio na região tem sido encarado pelas autoridades competentes como sendo multifatorial.

 

"Não há dúvida que é causa humana, a gente tem uma planície alagada que não pegaria fogo dessa forma sozinha. Obviamente, a gente tem uma mudança climática. A gente tem uma mudança no planeta que tem que ser entendida pela população. Estava conversando com o governo sobre isso, isso é uma nova realidade. Mas sem dúvidas nenhum são incêndios criminosos", disse a ativista.

 

À imprensa, Luisa Mell explicou que o diálogo para salvar o Pantanal tem sido feito por diversos interlocutores, que vem sendo estabelecido com o governo estadual e tem, inclusive, apoio de organizações internacionais. Para a militante, as perdas históricas registradas no bioma por conta do fogo são o sinal vermelho de que medidas mais efetivas devem ser realizadas.

 

Questionada sobre as declarações do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), que culpabilizou os povos originários por conta das queimadas, a ativista reiterou sua discordância com a metodologia utilizada pelo governo federal no Ministério do Meio Ambiente.

 

"Eu acho que o governo Bolsonaro é responsável, sim, pela tragédia que acontece aqui no Pantanal e na Amazonia pelo seu discurso, pelo enfraquecimento dos órgãos como Ibama, ICMBio. A gente tem uma fiscalização totalmente frágil. Então, jogar a culpa para em cima do índio é de extrema covardia. Sendo que já está comprovado, inclusive na Amazonia, que a grande destruição é causada por fazendeiros", afirmou.

 

A visita da ativista a Mato Grosso deve se estender por mais alguns dias, uma vez que após a reunião com o governador Luisa Mell retornou ao Pantanal, onde está junto a uma equipe responsável por realizar resgate e alimentação de animais.


Fonte: Gazeta Digital

Visite o website: https://www.gazetadigital.com.br