Publicidade

Cuiabá, Quinta-feira 16/07/2020

Variedades - A | + A

briga na justiça 16.11.2019 | 08h00

Advogada de Suzane tenta barrar publicação e autor troca de editora

Facebook Print google plus

O livro sobre Suzane von Richthofen do jornalista Ulisses Campbell tem uma nova editora e lançamento previsto para janeiro de 2020. Após a advogada de Suzane, Jaqueline Beatriz Domingues, tentar barrar na Justiça a publicação da obra, a editora Contexto decidiu por não lançar o livro. O motivo alegado em nota, no entanto, foi a "conjuntura do mercado editorial".

 

Campbell afirmou ao R7 que, em comum acordo, foi assinado o distrato do contrato. Isso porque, segundo ele, a editora Contexto não queria mais incluir fotos de Suzane no livro, com receio das ações judiciais já movidas por ela.  

 

 

Mas, no início do mês, o Tribunal de Justiça de São Paulo indeferiu um pedido de liminar feito pela defesa de Suzane, garantindo o lançamento do livro-reportagem nce pescrito em forma de romaolicial. 

 

A advogada que representa Suzane afirmou que ela não tem interesse na publicação e que nunca foi ouvida pelo jornalista, por isso "há fatos não verídicos na obra". A defesa entrou com novo recurso para tentar mais uma vez impedir a publicação do livro.

 

A obra agora teve o título alterado de "Suzane- Crime e Punição" para "Suzane- Assassina e Manipuladora". De acordo com o autor, o conteúdo do livro, que tem cerca de 300 páginas, não foi modificado. Um dos colaboradores da obra foi o ex-cunhado de Suzane, Cristian Cravinhos, que concedeu 8 entrevistas ao jornalista. Já o ex-namorado dela, Daniel Cravinhos, também não quis falar sobre o assunto.

 

A Matrix Editora, que já tem tradição em lançamentos polêmicos, decidiu publicar o livro e vai assinar o contrato com o autor na próxima segunda-feira (18). O dono da editora, Paulo Tadeu, explicou que "o livro tem um longo trabalho de pesquisa, boa narrativa apesar de ser um fato pesado e pela maneira como Ulisses investigou a vida dela atrás das grades". 

Paulo Tadeu destacou também que não teme as ações na Justiça por considerar "infrutíferas por já existir jurisprudência no assunto".  

 

O crime

Suzane foi condenada por matar os pais Manfred e Marísia von Richthofen em outubro de 2002, ao lado dos irmãos Cristian e Daniel Cravinhos. O casal foi morto a pauladas enquanto dormia. Suzane foi condenada a 39 anos de prisão porque foi considerada mentora do crime e desde 2015 está no regime semiaberto.

 

Daniel Cravinhos foi condenado a 39 anos de prisão pelos homicídios, mas já cumpre pena no regime aberto. Cristian estava na mesma situação, mas foi preso novamente e condenado a 4 anos de prisão por posse ilegal de munição e suborno de policiais após se envolver em uma confusão num bar em Sorocaba, no interior paulista.

Voltar Imprimir

Publicidade

Comentários

Enquete

Você acredita na eficácia das barreiras sanitárias implantadas em Cuiabá?

Parcial

Edição digital

Quarta-feira, 15/07/2020

imagem
imagem
imagem
imagem
imagem
imagem

Publicidade

btn-4

Indicadores

Milho Disponível R$ 19,55 -0,76%

Algodão R$ 91,36 -0,12%

Boi a Vista R$ 136,50 0,00%

Soja Disponível R$ 60,80 -2,09%

Publicidade

Classi fácil
btn-loja-virtual

Publicidade

Mais lidas

Publicidade

O Grupo Gazeta reúne veículos de comunicação em Mato Grosso. Foi fundado em 1990 com o lançamento de A Gazeta, jornal de maior circulação e influência no Estado. Integram o Grupo as emissoras Gazeta FM, FM Alta Floresta, FM Barra do Garças, FM Poxoréu, Cultura FM, Vila Real FM, TV Vila Real 10.1, TV Pantanal 22.1, o Instituto de Pesquisa Gazeta Dados, Gráfica Millenium e o Portal Gazeta Digital.

Copyright© 2020 - Gazeta Digital - Todos os direitos reservados Logo Trinix Internet

É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem a devida citação da fonte.