Publicidade

Cuiabá, Sexta-feira 28/02/2020

Economia - A | + A

Dados do Dieese 25.01.2020 | 13h54

Preço do feijão sobe 62% e faz cesta registrar alta de 10,66% em 2019

Facebook Print google plus

Chico Ferreira

Chico Ferreira

Enquanto todos acompanhavam a alta no preço da carne, que disparou no fim de 2019, o feijão registrou o maior aumento da cesta básica no ano passado, atingindo alta de 62,61%. Os dados são da pesquisa divulgada nesta quarta-feira (22) pelo Procon-SP, em parceria com o Dieese (Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos).

 

Em 2019, as carnes bovinas como um todo subiram, em média, 30 15% e as carnes suínas, em geral, aumentaram 31,43%.

 

"O movimento de alta de preço no final de 2019 ocorreu devido à seca no interior de São Paulo, à menor área plantada na terceira safra e aos estoques mais baixos dos produtores, o que limitaram a oferta do produto", explicou em nota o Procon.

 

Leia também - Preço da carne ao consumidor cai 10%, mas não volta ao nível de 2019

 

O levantamento também apontou que o valor da cesta básica paulistana apresentou alta de 10,66% em 2019.

 

De acordo com a mostra, o valor médio passou de R$ 708,61, em dezembro de 2018, e para R$ 784,16, em dezembro de 2019.

 

As maiores altas na cesta básica foram:

• Feijão (62,61%);
• Alho (41,97%);
• Carne de primeira (27,18%);
• Sabão em pó (25,14%); e
• Carne de segunda (22,69%).

 

Os itens que tiveram redução de preço foram:

• Biscoito maisena (-7,33%);
• Cebola (-5,91%);
• Pão de forma (-5,36%);
• Água sanitária (-2,30%); e
• Café em pó (-0,81%).

 

Todos os grupos da cesta básica tiveram alta. Os produtos de higiene acumularam reajuste de 7,55%, os de alimentação, 10,96%, e os de limpeza, 11,15%.

 

Dos 28 alimentos pesquisados, 22 tiveram seus preços médios aumentados.

• Arroz (0,98%)
• Feijão (62,61%)
• Açúcar (10,71%)
• Café em pó (-0,81%)
• Farinha de trigo (0,33%)
• Farinha de mandioca (-0,69)
• Batata (11,14%)
• Cebola (-5,91%)
• Alho (41,97%)
• Ovos (19,75%)
• Óleo de soja (7,78%) e margarina (-0,48)
• Extrato de tomate (4,45%)
• Leite em pó (4,75%) e leite UHT (18,75%)
• Pão de Forma (-5,36%) e Pão Francês (3,11%)
• Macarrão com ovos (8,45%)
• Biscoito Maisena (-7,33%), Biscoito Recheado (1,99%) e Biscoito Água e Sal (4,41%)
• Carne de primeira (27,18%)
• Carne de segunda (22,69%)
• Frango resfriado (16,93%)
• Salsicha (8,33%) e linguiça (17,80%)
• Queijo mozarela (2,84%)
• Presunto (4,71%)

 

Na parte de higiene, todos os cinco itens pesquisados sofreram aumento de preço.

• Sabão em pó (25,14%);
• Amaciante (7,96%);
• Sabão em barra (4,84%);
• Limpador multiuso (4,43%);
• Detergente (0,69%); e
• Água sanitária (-2,30%).

 

Dos seis itens avaliados no grupo de limpeza, apenas um não aumentou.

• Papel higiênico (10,86%);
• Desodorante (8,79%);
• Sabonete (7,26%);
• Creme dental (6,61%); e
• Absorvente (6,54%).

Voltar Imprimir

Publicidade

Comentários

Enquete

Número de delações premiadas significa que MT está sendo passado a limpo?

Parcial

Edição digital

Sexta-feira, 28/02/2020

imagem
imagem
imagem
imagem
imagem
imagem

Publicidade

btn-4

Indicadores

Milho Disponível R$ 25,55 -0,20%

Algodão R$ 92,25 -2,01%

Boi a Vista R$ 134,50 0,00%

Soja Disponível R$ 64,80 0,00%

Publicidade

Classi fácil
btn-loja-virtual

Publicidade

Mais lidas

Publicidade

O Grupo Gazeta reúne veículos de comunicação em Mato Grosso. Foi fundado em 1990 com o lançamento de A Gazeta, jornal de maior circulação e influência no Estado. Integram o Grupo as emissoras Gazeta FM, FM Alta Floresta, FM Barra do Garças, FM Poxoréu, Cultura FM, Vila Real FM, TV Vila Real, o Instituto de Pesquisa Gazeta Dados, Gráfica Millenium e o Portal Gazeta Digital.

Copyright© 2019 - Gazeta Digital - Todos os direitos reservados Logo Trinix Internet

É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem a devida citação da fonte.