Publicidade

Cuiabá, Terça-feira 24/11/2020

Cidades - A | + A

Deu em A Gazeta 22.10.2020 | 07h40

Parte dos voluntários de MT relata efeitos adversos da vacina

Facebook Print google plus

Reprodução/Facebook

Reprodução/Facebook

Parte dos voluntários mato-grossenses que receberam a primeira dose da vacina chinesa para prevenir a contaminação pelo coronavírus (covid-19) apresentou alguns efeitos adversos, como dor de cabeça e no local da aplicação, além de cansaço. Em âmbito nacional, o percentual de voluntários com efeitos é de 35%. Eles fazem parte da 3ª etapa do ensaio clínico da Coronavac, vacina desenvolvida pelo laboratório Sinovac Life Science e que, no Estado, está sendo operacionada por equipes científicas do Instituto Butantan e do Hospital Universitário Júlio Müller (HUJM). A dose, que deve continuar sendo aplicada até final de novembro em Mato Grosso, foi motivo de polêmica nesta quarta-feira (21) entre os governos estadual e federal. O governador Mauro Mendes, após reunião com o ministro da Saúde, general Eduardo Pazuello, anunciou que a imunização no Estado iniciaria em janeiro, informação que foi desmentida pelo presidente da República nas redes sociais.

 

Na tarde de terça-feira (20), o gestor da Secretaria de Estado de Saúde (SES), Gilberto Figueiredo, já havia externado suas expectativas para o início da aplicação da vacina chinesa na população local que, com o avançar da pesquisa, poderia ser disponibilizada ao mercado ainda neste ano. “Nós queremos ser otimistas. Os testes sendo finalizados até novembro, com a possibilidade que esteja disponível no país já os primeiros lotes para testar, prioritariamente o grupo de risco e os profissionais da área da saúde”.

 

Apesar de frisar que vem acompanhando o estudo clínico junto ao HUJM, Figueiredo destacou que até então tudo se trata de expectativa, já que ainda não havia, definitivamente, nenhum posicionamento quanto a uma data por parte do Ministério da Saúde, “que aguarda a finalização desses testes necessários para ter a autorização devida para poder fazer a vacinação”.

 

Diante da afirmação do governador de São Paulo, João Dória, de que no estado a vacinação contra a covid-19 será obrigatória, Figueiredo explicou que tudo que ocorre no país quanto à vacinação é coordenado pelo Ministério, via Programa Nacional de Imunização. “Mato Grosso não ficará de fora, vai ser contemplado como todos os estados, dentro dos critérios que o governo federal estabelecer para isso”.

 

Vale destacar que nenhum dos voluntários que foram vacinados apresentaram reações adversas graves.

 

Confira reportagem completa na edição do Jornal A Gazeta

Voltar Imprimir

Publicidade

Comentários

Enquete

Você concorda com o retorno das aulas presenciais em fevereiro ou acha melhor esperar a vacina?

Parcial

Edição digital

Terça-feira, 24/11/2020

imagem
imagem
imagem
imagem
imagem
imagem

Publicidade

btn-4

Indicadores

Milho Disponível R$ 63,50 0,16%

Algodão R$ 122,16 0,04%

Boi à vista R$ 257,07 -1,89%

Soja Disponível R$ 164,00 -4,65%

Publicidade

Classi fácil
btn-loja-virtual

Publicidade

Mais lidas

Publicidade

O Grupo Gazeta reúne veículos de comunicação em Mato Grosso. Foi fundado em 1990 com o lançamento de A Gazeta, jornal de maior circulação e influência no Estado. Integram o Grupo as emissoras Gazeta FM, FM Alta Floresta, FM Barra do Garças, FM Poxoréu, Cultura FM, Vila Real FM, TV Vila Real 10.1, TV Pantanal 22.1, o Instituto de Pesquisa Gazeta Dados, Gráfica Millenium e o Portal Gazeta Digital.

Copyright© 2020 - Gazeta Digital - Todos os direitos reservados Logo Trinix Internet

É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem a devida citação da fonte.