Publicidade

Cuiabá, Sexta-feira 25/09/2020

Cidades - A | + A

SOBRECARREGADOS 03.08.2020 | 11h25

Vídeo mostra protesto de profissionais de hospital particular em Cuiabá

Facebook Print google plus

Divulgação

Divulgação

Atualizada às 12h24 Um vídeo mostra o protesto realizado pelos técnicos de enfermagem que trabalham no Hospital São Matheus, em Cuiabá, na manhã desta segunda-feira (3). Eles reclamam por melhores condições de trabalho e pagamento adequado de bonificações as quais têm direito.


Leia também - Governador segue sem internado e sem previsão de alta

 

Segundo o técnico Ires Pereira da Silva, as condições de trabalho dos servidores estão precárias há algum tempo, mas pioraram com a venda do hospital ao grupo Meridional, do Espírito Santo.

 

Divulgação

protesto hospital sao matheus

 

Com a nova administração, houve demissões e os servidores não foram recontratados. No lugar onde deveriam trabalhar 10 profissionais, estavam apenas 8. Com a chegada da pandemia de covid-19 e a possibilidade de cortar salário e pessoal, o grupo adotou a medida e reduziu ainda mais o quadro de funcionários.


“O Hospital São Matheus é particular, subentende-se que é melhor do que o público. O cidadão que busca atendimento lá, paga saúde por meio dos impostos e também paga pelo atendimento recebido, que deve ser de qualidade, mas isso não acontece. As más condições do trabalhador reflete no que é passado ao paciente”, relata o técnico.


Ires Pereira contou ao que com a pandemia, onde deveriam trabalhar 10 técnicos, há 5 ou 6. O que sobrecarrega a todos os envolvidos. Além do pouco pessoal, os trabalhadores tiveram o adicional de insalubridade para quem trabalha em Unidade de Terapia Intensiva (UTI) reduzido pela metade e outros foram cortados totalmente. Os R$ 100 pago por assiduidade também foi retirado.


“Quem ficava na UTI atendida dois pacientes, agora atende 4. Fica impossível exercer o trabalho dessa forma”, relata.
Os trabalhadores também relatam que o plano de saúde que já não funcionava direito e agora foi cortado de vez. Quem foi contaminado pelo novo coronavírus teve que se afastar do trabalho e não recebeu pelos dias em que esteve em tratamento da doença adquirida no ambiente do trabalho.


“Essa manifestação era para ter ocorrido em março. Mas estávamos em negociação, na expectativa de um acordo, no entanto o prazo para resposta era na semana passada, mas o hospital virou as costas. Não teve mais negociação”, informa.


O técnico conta que há casos de profissionais afastado por covid que recebeu R$ 300 no fim do mês, por conta dos descontos. Relata ainda sobre profissionais que estão na UTI e que recebem R$ 1300. “ Para quem recebia R$ 2,5 mil, baixar pra isso aí, é um valor exagerado".


Outro lado
A assessoria do hospital foi procurada e encaminhou a seguinte nota:

A direção do Hospital São Mateus esclarece que:

 

- A pandemia da Covid-19 fez com que a taxa de ocupação da unidade fosse drasticamente reduzida. Por conta disso, aderiu aos benefícios da Medida Provisória 936/20, editada pelo Governo Federal;

 

- Desde o início de junho tem negociado com a categoria um acordo coletivo de trabalho, que contempla uma série de benefícios, entre eles os pagamentos de bonificação por assiduidade e insalubridade, além da manutenção do plano de saúde, que em nenhum momento foi retirado;

 

- Não procede a informação de sobrecarga de profissionais nos plantões, uma vez que o número de colaboradores afastados atualmente é de pouco mais de 10;

 

- Para ampliar a capacidade de atendimento, o hospital tem trabalhado na contratação de novos profissionais;

 

- Por fim, segue em negociação com os trabalhadores, confiante de que em breve um acordo será celebrado.

Vídeo

Voltar Imprimir

Publicidade

Comentários

Leonardo Gomes Feitoza De Amorim - 04/08/2020

Esse hospital já foi referência em atendimento particular. Infelizmente, pra quem não sabe, hospital é comércio, visa lucro, redução de de custo, ou seja, lucrar o máximo em cima do paciente "cliente" e explorar o máximo a mão de obra "enfermagem". Está faltando o apoio da população aos profissionais!

1 comentários

1 de 1

Enquete

Onze candidatos disputam o Senado, você acha que o número amplia o leque de propostas ou mostra a desunião da classe política?

Parcial

Edição digital

Quinta-feira, 24/09/2020

imagem
imagem
imagem
imagem
imagem
imagem

Publicidade

btn-4

Indicadores

Milho Disponível R$ 22,75 0,66%

Algodão R$ 97,99 -0,18%

Boi a Vista R$ 133,00 -3,62%

Soja Disponível R$ 70,00 -0,71%

Publicidade

Classi fácil
btn-loja-virtual

Publicidade

Mais lidas

Publicidade

O Grupo Gazeta reúne veículos de comunicação em Mato Grosso. Foi fundado em 1990 com o lançamento de A Gazeta, jornal de maior circulação e influência no Estado. Integram o Grupo as emissoras Gazeta FM, FM Alta Floresta, FM Barra do Garças, FM Poxoréu, Cultura FM, Vila Real FM, TV Vila Real 10.1, TV Pantanal 22.1, o Instituto de Pesquisa Gazeta Dados, Gráfica Millenium e o Portal Gazeta Digital.

Copyright© 2020 - Gazeta Digital - Todos os direitos reservados Logo Trinix Internet

É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem a devida citação da fonte.