Publicidade

Cuiabá, Quinta-feira 09/04/2020

Esporte - A | + A

viagem no tempo 17.02.2020 | 09h47

Berço do judô, Japão mostrará força da modalidade nas olimpíadas Tóquio 2020

Facebook Print google plus

Divulgação/Site Oficial/Nippon Budokan

Divulgação/Site Oficial/Nippon Budokan

O judô em Tóquio 2020 será uma verdadeira viagem no tempo. Berço do esporte lá atrás, em 1882, o Japão contará toda a força da ‘arte suave’ a começar pelo local da competições: o Nippon Budokan, que foi inaugurado para a primeira edição dos Jogos Olímpicos no país, em 1964, carrega todos os elementos de sua rica história.

 

Depois que os samurais foram proibidos de usar espadas no Japão, houve naturalmente um declínio das artes marciais. O jiu-jitsu era considerado muito perigoso e, naquela época, não era aceito como esporte por suas técnicas até mortais. Daí então, o nascimento do “ju” (que expressa “suave”, “suavidade”, em japonês) “do” (equivalente a “caminho”).

 

Leia também - Doce rotina: Trio de ataque brilha e Flamengo é campeão da Supercopa

 

O professor Yoshiyuki Shimotsu, que aos 69 anos garante que tem mais de 62 só de judô, explicou que o “caminho não é tão suave” assim já que existe bastante disciplina e treino.

 

“No judô, não existe nenhuma técnica que possa machucar o adversário. Existes técnicas de imobilização, mas sem que o oponente quebra um braço por exemplo”, disse o judoca de sétimo dan, entre as maiores graduações do esporte. “No Japão, o judô é uma das artes mais respeitadas, principalmente, em termos de educação. Aqui no Brasil, herdamos esses ensinamentos.”

 

Toda essa história foi materializada no Budokan. O judô fez sua primeira aparição no programa olímpico justamente em Tóquio 1964. Depois de algumas reformas, hoje o local comporta 11 mil pessoas e recebe eventos e cerimônias do governo japonês, além de competições locais — será também a casa do karatê, outra arte marcial japonesa que fará sua estreia nos Jogos Olímpicos.

 

Judô nas escolas

Pelos benefícios causados pela prática do judô, sobretudo na infância, Brasil e Japão assinaram na última semana um memorando para estimular o judô nas escolas. Além do intercâmbio técnico, o documento prevê em ações ainda não-concretas a inclusão da arte marcial no currículo escolar brasileiro.

 

“Trabalharemos para expandir a prática do judô entre as crianças em idade escolar. Acreditamos que o esporte é a melhor ferramenta de transformação da vida humana. Ele forma cidadãos e transforma realidades”, disse Décio Brasil, secretário Especial do Esporte, do Ministério da Cidadania.

Voltar Imprimir

Publicidade

Comentários

Enquete

A cloroquina está liberada para o tratamento dos pacientes do coronavírus no Brasil, mas a polêmica continua

Parcial

Edição digital

Quarta-feira, 08/04/2020

imagem
imagem
imagem
imagem
imagem
imagem

Publicidade

btn-4

Indicadores

Milho Disponível R$ 18,25 0,27%

Algodão R$ 90,22 -0,34%

Boi a Vista R$ 129,50 0,13%

Soja Disponível R$ 67,30 -1,03%

Publicidade

Classi fácil
btn-loja-virtual

Publicidade

Mais lidas

Publicidade

O Grupo Gazeta reúne veículos de comunicação em Mato Grosso. Foi fundado em 1990 com o lançamento de A Gazeta, jornal de maior circulação e influência no Estado. Integram o Grupo as emissoras Gazeta FM, FM Alta Floresta, FM Barra do Garças, FM Poxoréu, Cultura FM, Vila Real FM, TV Vila Real, o Instituto de Pesquisa Gazeta Dados, Gráfica Millenium e o Portal Gazeta Digital.

Copyright© 2019 - Gazeta Digital - Todos os direitos reservados Logo Trinix Internet

É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem a devida citação da fonte.