Publicidade

Cuiabá, Sexta-feira 10/04/2020

Esporte - A | + A

Futebol do planeta 18.03.2020 | 15h53

Colaboração da FIFA na campanha contra o coronavírus é lida com patética; confira

Facebook Print google plus

FIFA

FIFA

A metáfora pode parecer grosseira. Porém, define muito bem aquilo que, inevitavelmente, sucederia no Futebol do planeta: o cenário do dominó, as peças empilhadas na vertical, uma que cai e daí desanda a derrubar todas as outras. Primeiro, houve o adiamento da Copa América e da Eurocopa, de agora para Junho/Julho de 2021. Daí houve a suspensão, para uma data indefinida, da Copa do Mundo de Clubes, que aconteceria em 2021 e ficará para ainda nem se imagina quando. Ironia: essa competição, originalmente, deveria acontecer lá na China, de onde a Covid-19 disparou.

 

Afora tais medidas, paliativas, voluntariosas, a entidade que comanda o Ludopédio no planeta adotou atitudes que, convenhamos, parecem provenientes de um grupo de alunos de Jardim de Infância. O estabelecimento de um fundo de US$ 10 milhões de apoio à Organização Mundial de Saúde quando só a Fiat/Juventus de Turim designou 50% mais em apoio à crise na Itália. Isso e a divulgação de um manifesto convencional, assinado pelo presidente Gianni Infantino, um apelo à solidariedade. E para completar a ridicularia a FIFA criou um comitê de treinadores “renomados” para lutar contra a Covid-19.

 

Leia também - Copa América segue passos da Eurocopa e também será adiada; Para alívio de Tite

 

Integra o comitê, por exemplo, Arsène Wenger, o ex-Arsenal de Londres e diretor de um certo Departamento de Desenvolvimento Global do Futebol na entidade. E também um rivalérrimo de Wenger, Maurizio Pochettino, manager do Tottenham, também da capital da Inglaterra. Entre outras superficialidades, os dois aparecem num filme em que supostamente ensinam a lavagem das mãos com álcool-gel etcetera e tal ou, melhor ainda, com água e sabão etcetera e tal.

 

Também fazem parte do elenco de “professores” Jill Ellis, da seleção feminina dos Estados Unidos, Casey Stoney, do time feminino do Manchester United, e Aliou Cissé, da seleção masculina do Senegal.

 

Completa gloriosamente a pantomima o velho “Special One”, ele, José Mourinho, o atual do Tottenham, dias atrás eliminado, acachapantemente, pelo RB Leipzig, da Alemanha, nas oitavas-de-final da Champions League. Com a sua clássica postura de professor, acima do bem e do mal, Mourinho discorre sobre a “interação social” e ensina as pessoas a se manterem a no mínimo um metro de distância “de quem tosse ou espirra”. Não bastasse esse torvelinho de estultices, Gianni Infantino fecha o seu pronunciamento com uma frase que faria Tiririca morrer de rir: “Juntos, nós vamos ganhar este jogo tão difícil!” 

Voltar Imprimir

Publicidade

Comentários

Enquete

A cloroquina está liberada para o tratamento dos pacientes do coronavírus no Brasil, mas a polêmica continua

Parcial

Edição digital

Sexta-feira, 10/04/2020

imagem
imagem
imagem
imagem
imagem
imagem

Publicidade

btn-4

Indicadores

Milho Disponível R$ 21,05 0,48%

Algodão R$ 91,75 -0,09%

Boi a Vista R$ 136,00 -0,27%

Soja Disponível R$ 69,50 -1,42%

Publicidade

Classi fácil
btn-loja-virtual

Publicidade

Mais lidas

Publicidade

O Grupo Gazeta reúne veículos de comunicação em Mato Grosso. Foi fundado em 1990 com o lançamento de A Gazeta, jornal de maior circulação e influência no Estado. Integram o Grupo as emissoras Gazeta FM, FM Alta Floresta, FM Barra do Garças, FM Poxoréu, Cultura FM, Vila Real FM, TV Vila Real, o Instituto de Pesquisa Gazeta Dados, Gráfica Millenium e o Portal Gazeta Digital.

Copyright© 2019 - Gazeta Digital - Todos os direitos reservados Logo Trinix Internet

É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem a devida citação da fonte.