Publicidade

Cuiabá, Domingo 20/09/2020

Cidades - A | + A

trajetória de muito trabalho 01.05.2020 | 14h50

Da licença médica ao sonho de ter famoso cachorro quente

Facebook Print google plus
Izabelle Borges - Especial para o GD

izabelle@gazetadigital.com.br

Divulgação

Divulgação

Apaixonado por cozinhar e sem nenhuma experiência profissional na área, Raphael Rodrigues, 32 anos, largou emprego e investiu tudo que tinha em um sonho: abrir um ponto de vendas de cachorro quente. Rapha conversou com o e conta como devido aos esforços, hoje é proprietário do Dog do Rapha.

 

Em outubro de 2015, Raphael que ocupava há 5 anos o cargo de gerente de uma importante call center em Cuiabá relata que “acabou quebrando o joelho, ao tentar separar uma confusão dentro da empresa, onde um ex-funcionário queria agredir o proprietário, pois não havia recebido seus direitos”, o incidente acabou gerando a ele 90 dias de atestado e foi nesse período em casa que ele teve a oportunidade de repensar seus objetivos. Ele decidiu não voltar mais para a antiga ocupação e apostar seu tempo e esforço em um novo projeto.

 

Leia também - Fronteiras fechadas impedem transporte da elefanta Mara

 

A ideia do cachorro quente veio da tradicional receita que ele fazia em casa, para amigos e familiares, e sempre lhe rendia muitos elogios. Para concretizar o sonho, muitas dificuldades surgiram.

 

Eles, Raphael e a esposa Dayanne, precisavam de um lugar para fazer o cachorro quente e após muitas pesquisas descobriram que o melhor produto para a função era um veículo Towner adaptado, mas sem dinheiro e sem nome para financiar contaram com o apoio do padrinho do cuiabano, que emprestou o dinheiro, para adquirirem o carro.

 

Para buscar o carro, eles precisavam se deslocar para São Paulo e mais uma vez tiveram o apoio da família para alcançar o objetivo, mas desta vez pelas mãos do pai do Rapha, que emprestou o cartão para comprar as passagens para o casal ir até o estado. Rapha e Dayanne enfrentaram então as 30 horas de viagem, de Cuiabá a São Paulo, com ele ainda de muletas. O casal, por sua vez, precisava de uma hospedagem, e nesse momento um amigo que residia na cidade de São Paulo ofertou a casa para que eles pudessem ficar.

 

Retornaram, já com o veículo, no dia 31 de dezembro de 2015, que coincidentemente é a data de aniversário do Raphael.

 

Divulgação

dog do rapha, cachorro quente

Inauguração do ponto, que aconteceu no dia 8 de janeiro de 2016.

Além do carro, eles precisavam de banquetas para os clientes, um isopor para guardar mantimentos e um kit de preparados de cachorro quente, e já sem dinheiro, ele trocou seu notebook pelos produtos. “Durante esse período, vendi uma moto que eu tinha para segurar as despesas de casa”, lembra Rapha sobre a luta pelo objetivo. Então, 9 dias após chegarem em Cuiabá, o Dog do Rapha era inaugurado, primeiramente para aqueles que os ajudaram e apoiaram, os amigos e familiares.

 

Além do emprego que o cuiabano largou, ele acabou deixando para trás também a faculdade de Direito que cursava no período noturno. Rapha lembra que quando estava em São Paulo descobriu que havia sido convocado para um cargo público, que conseguiu conciliar com o lanche somente no primeiro ano, após isso teve que pedir exoneração também para se dedicar exclusivamente ao que ama fazer.

 

Divulgação

dog do rapha, cachorro quente

Registro de uma das opções de cachorro-quente do cardápio

O cuiabano orgulhoso da sua receita ao ser questionado sobre o sucesso do seu cachorro quente, deixou um pouco de lado a modéstia e se mostrou surpreendido em parte. "Iamaginava que faria sucesso sim, não nesssa proporção", afirma Rapha.

 

No início, a dupla se dividia entre as funções, Rapha preparando os lanches e a esposa fazendo o atendimento e recebimentos. Com o crescimento do movimento, precisaram adquirir um trailer adaptado para preparação dos lanches e contratar pessoas para ajudar.

 

 

 

Durante a pandemia

O lanche que possuía 5 funcionários, além do casal, hoje conta com 3 trabalhando normalmente e 1 afastado por ser do grupo de risco.

 

Divulgação

dog do rapha, cachorro quente

Rapha exibe suas novas receitas.

“O que ajudou bastante foi a novidade de também agregarmos os lanches de chapa, como baguncinha, x-bagunça e prensados”, conta o cuiabano sobre como está sendo para manter o funcionamento do lanche durante a quarentena.

 

Com um movimento 30% menor, eles seguem trabalhando de casa, somente com delivery por meio de aplicativos de entrega e por antecipação de pedidos pelo número de Whats App, sendo que nessa última opção o cliente não pode descer do veículo, medida tomada para evitar aglomerações e manter a segurança da equipe e clientes.

 

 

Rapha, muito atencioso, diz que a maior ansiedade é poder lidar novamente com o público e ressalta que o importante é tudo passar logo.  "Como todos, nós estamos torcendo para que tudo isso acabe logo".

Voltar Imprimir

Publicidade

Comentários

Enquete

Onze candidatos disputam o Senado, você acha que o número amplia o leque de propostas ou mostra a desunião da classe política?

Parcial

Edição digital

Domingo, 20/09/2020

imagem
imagem
imagem
imagem
imagem
imagem

Publicidade

btn-4

Indicadores

Milho Disponível R$ 21,10 0,48%

Algodão R$ 93,35 0,20%

Boi a Vista R$ 132,65 -1,01%

Soja Disponível R$ 66,40 -0,75%

Publicidade

Classi fácil
btn-loja-virtual

Publicidade

Mais lidas

Publicidade

O Grupo Gazeta reúne veículos de comunicação em Mato Grosso. Foi fundado em 1990 com o lançamento de A Gazeta, jornal de maior circulação e influência no Estado. Integram o Grupo as emissoras Gazeta FM, FM Alta Floresta, FM Barra do Garças, FM Poxoréu, Cultura FM, Vila Real FM, TV Vila Real 10.1, TV Pantanal 22.1, o Instituto de Pesquisa Gazeta Dados, Gráfica Millenium e o Portal Gazeta Digital.

Copyright© 2020 - Gazeta Digital - Todos os direitos reservados Logo Trinix Internet

É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem a devida citação da fonte.