Publicidade

Cuiabá, Quarta-feira 21/10/2020

Cidades - A | + A

DISSE QUE MORRERIA EM CUIABÁ 17.09.2020 | 15h05

Sindicato da saúde repudia comentários de médica picada por cobra

Facebook Print google plus

Reprodução

Reprodução

O Sindicato dos Estabelecimentos de Serviços de Saúde do Estado de Mato Grosso (Sindessmat) emitiu nota de repúdio contra as falas da médica Dieynne Saugo, que utilizou sua conta pessoal no Instagram para afirmar que morreria em Cuiabá caso recebesse tratamento na Capital. A profissional de saúde foi picada por uma jararaca enquanto banhava em uma cachoeira de Nobres (146 km a médio-norte de Cuiabá) no último dia 30 e procurou serviços médicos em São Paulo.  

 

De acordo com o sindicato, o comentário da médica foi infeliz e representa uma posição pessoal da profissional em relação aos hospitais de Cuiabá. O Sindessmat reforçou que as unidades médicas da Capital mato-grossense têm certificações, tanto de instituições nacionais quanto internacionais, que atestam a qualidade dos serviços.

 

Leia também - Surtado, homem sai de casa e está desaparecido há 6 dias

 

"A prova de que Cuiabá tem hospitais de alta capacidade e complexidade, que investem em tecnologia na prestação dos serviços e que garantem a qualidade do serviço em saúde na Capital, é que centenas de pessoas do interior e de Estados vizinhos procuram Cuiabá como centro de referência médica", apontou o sindicato.

 

Conforme noticiado pelo portal , além do Sindessmat, o Conselho Regional de Medicina de Mato Grosso (CRM) também havia se manifestado contra as declarações da médica.

 

O episódio

A 'Doutora Fit', como a profissional é popularmente conhecida nas redes sociais, respondeu uma caixa de perguntas que a questionou sobre o porquê de ela não procurar atendimento médico em unidade de saúde que contemplasse seu plano - uma vez que ela fez até mesmo 'vaquinha' para custear seu tratamento.

 

Em resposta ao questionamento, a médica afirmou que: "porque é óbvio que eu morreria! Nenhum hospital de Cuiabá tem os mesmos recursos dos hospitais de São Paulo. Meu caso não era grave, era gravíssimo!".

 

Além disso, a profissional também apontou que não tinha certeza de onde havia se infectado com a covid-19, mas que provavelmente havia sido em uma Unidade de Tratamento Intensivo (UTI) de Cuiabá.

 

Na tarde de quarta-feira (16), a médica se posicionou em seu Instagram lamentando a nota emitida pelo CRM.

 

Veja nota na íntegra:


O Sindicato dos Estabelecimentos de Serviços de Saúde do Estado de Mato Grosso (Sindessmat), lamenta o infeliz posicionamento da médica Dieyenne Saugo, picada por uma cobra jararaca no dia 30 de agosto em uma cachoeira em Nobres, que afirmou em sua rede social que: “Porque é obvio que eu morreria. Nenhum hospital de Cuiabá tem os mesmos recursos dos hospitais de São Paulo. Meu caso não era grave, era gravíssimo”.

 

Para o Sindessmat a escolha pessoal da paciente não pode balizar a qualificação de nenhuma unidade de saúde de Mato Grosso.

 

A prova de que Cuiabá tem hospitais de alta capacidade e complexidade, que investem em tecnologia na prestação dos serviços e que garantem a qualidade do serviço em saúde na Capital, é que centenas de pessoas do interior e de Estados vizinhos procuram Cuiabá como centro de referência médica.

 

Muitas unidades, inclusive, têm certificações de acreditação nacionais e internacionais. São eles o ONA Nível 3 (Excelência), concedido pela Organização Nacional de Acreditação (ONA) às instituições com excelência em gestão e selos de acreditação internacional canadenses e europeus.

 

Como entidade representativa das unidades de saúde privadas de Mato Grosso, o Sindessmat lamenta o posicionamento da médica e reforça o seu comprometimento com o atendimento de saúde de qualidade a todos os mato-grossenses.

Voltar Imprimir

Publicidade

Comentários

Sandra Cristina Moreira - 18/09/2020

Não entendo tanta preocupação por parte do Sindicato. Tão querendo aparecer mais que a medica q foi a grande vitima. Acredito sim, se tivesse ficado aqui tinha morrido, assim como mtas pessoas perderam a vida com covid por tratamento inadequado.

Nina - 18/09/2020

E realmente não possui a mesma estrutura, tanto é que o vaqueiro que também foi picado por uma jararaca morreu em Cuiabá. Ela não desqualificou os profissionais, mas estrutura de fato não tem nem comparação, se até para tratar covid os políticos e empresários vão para SP.

Joao - 18/09/2020

Mas nossos políticos não acham que os hospitais da capital prestam serviços de qualidades pois todos procuram os hospitais de São Paulo para fazerem seus tratamentos a exemplo do Sr Governador e o Sr. presidente da câmara dos deputados de Mato Grosso assim como outros. será que os hospitais de Cuiabá presta serviço de qualidade?

leitor - 17/09/2020

Já jà estará batendo nas portas nos hospitais para pediu espaço...aí quero ver....eu não...o problema é dela com a lingua solta

4 comentários

1 de 1

Enquete

Como você avalia a ausência de um candidato convidado para debater com adversários?

Parcial

Edição digital

Quarta-feira, 21/10/2020

imagem
imagem
imagem
imagem
imagem
imagem

Publicidade

btn-4

Indicadores

Milho Disponível R$ 57,50 1,77%

Algodão R$ 118,67 3,64%

Boi a Vista R$ 242,24 0,00%

Soja Disponível R$ 156,30 0,35%

Publicidade

Classi fácil
btn-loja-virtual

Publicidade

Mais lidas

Publicidade

O Grupo Gazeta reúne veículos de comunicação em Mato Grosso. Foi fundado em 1990 com o lançamento de A Gazeta, jornal de maior circulação e influência no Estado. Integram o Grupo as emissoras Gazeta FM, FM Alta Floresta, FM Barra do Garças, FM Poxoréu, Cultura FM, Vila Real FM, TV Vila Real 10.1, TV Pantanal 22.1, o Instituto de Pesquisa Gazeta Dados, Gráfica Millenium e o Portal Gazeta Digital.

Copyright© 2020 - Gazeta Digital - Todos os direitos reservados Logo Trinix Internet

É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem a devida citação da fonte.