Publicidade

Cuiabá, Terça-feira 11/08/2020

Mundo - A | + A

gripe espanhola e coronavírus 23.04.2020 | 16h05

Gêmeos morrem com diferença de 100 anos, ambos foram vítimas de pandemias

Facebook Print google plus

Corey Karlin Zysman/Facebook

Corey Karlin Zysman/Facebook

Philip Kahn, de 100 anos, passou a sua existência inteira lembrando-se de seu irmão gêmeo, Samuel, que morreu com menos de um ano, por causa da gripe espanhola, em 1919.

 

Pelos relatos de familiares, a vida de Philip, neste sentido, teve uma dupla missão. Viver bem, por ele e pelo irmão. Para, com um toque do destino, morrer de forma similar. Nesta semana, ele se foi, levado por outra pandemia, a da covid-19.

 

"Meu avô, durante toda a minha vida, sempre me contou sobre seu irmão gêmeo, Samuel, que havia morrido durante a pandemia de gripe espanhola", disse Warren Zysman, neto de Philip.

 

Leia também - Madri homenageia mortos por covid-19 após fechar um necrotério temporário

 

Ele, que estava perto de completar 101 anos, morava em Long Island (NY) e teve uma vida atribulada, de lutas, conquistas e forte ligação com os Estados Unidos.

 

Foi condecorado pela Força Aérea da Segunda Guerra Mundial, após ser copiloto de missões em Iwo Jima, no Japão. Ele compartilhou a sua história doando suas fotos ao Museu Intrepid de Nova York.

 

Mais tarde, como construtor elétrico, ele ajudou a erguer as Torres Gêmeas (outra coincidência) em Nova York, derrubadas no brutal atentado de 11 de setembro de 2001.

 

"Eu só quero dizer 'obrigado por tudo o que você fez por nós'", disse seu bisneto Elliot, 9 anos, no funeral, mantendo a distância por causa da pandemia. "Ele nos amou e nós o amamos da mesma forma."

 

"Tudo o que sei é que ele era um grande homem", acrescentou Reese, 7 anos, outro bisneto, entrevistado pela CBS2.

 

"Ele sempre teve o lema de que a história sempre se repetiria e sabia que havia uma possibilidade de uma pandemia novamente", disse Zysman. "O lado positivo é que meu avô finalmente terá a oportunidade de conhecer seu irmão gêmeo depois de 100 anos."

 

Sua filosofia de vida valorizava sempre o trabalho e a resistência diante das adversidades, segundo os parentes. Como ele fez em relação ao vazio deixado pela morte precoce do irmão.

 

Quando a doença o atingiu, era o momento de partir. Foi só por isso, segundo sua neta, dra. Corey Karlin-Zysman, chefe de divisão no hospital de Northwell Health, que ele deixou de resistir.

 

"Saber que ele tinha um irmão gêmeo que ele nunca conheceu devido a uma pandemia realmente o afetou. Ele sabia o que estava acontecendo, e definitivamente encaixou as peças e viu uma ironia nisso."

Voltar Imprimir

Publicidade

Comentários

Enquete

Toda a polêmica envolvendo a morte da adolescente é por dúvida se o tiro foi acidental?

Parcial

Edição digital

Terça-feira, 11/08/2020

imagem
imagem
imagem
imagem
imagem
imagem

Publicidade

btn-4

Indicadores

Milho Disponível R$ 20,10 2,55%

Algodão R$ 92,24 -2,01%

Boi a Vista R$ 135,25 0,43%

Soja Disponível R$ 65,40 0,00%

Publicidade

Classi fácil
btn-loja-virtual

Publicidade

Mais lidas

Publicidade

O Grupo Gazeta reúne veículos de comunicação em Mato Grosso. Foi fundado em 1990 com o lançamento de A Gazeta, jornal de maior circulação e influência no Estado. Integram o Grupo as emissoras Gazeta FM, FM Alta Floresta, FM Barra do Garças, FM Poxoréu, Cultura FM, Vila Real FM, TV Vila Real 10.1, TV Pantanal 22.1, o Instituto de Pesquisa Gazeta Dados, Gráfica Millenium e o Portal Gazeta Digital.

Copyright© 2020 - Gazeta Digital - Todos os direitos reservados Logo Trinix Internet

É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem a devida citação da fonte.