Publicidade

Cuiabá, Quinta-feira 29/10/2020

Mundo - A | + A

fugindo do transporte público 18.05.2020 | 15h39

No 'novo normal' da Europa, bicicletas são incentivadas pelo governo para população

Facebook Print google plus

AP Photo/Michael Probst

AP Photo/Michael Probst

A pandemia do novo coronavírus mudou o jeito como as pessoas se locomovem. Muitas, inclusive, nem podem se locomover e, seguindo as regras estabelecidas em muitos países, devem ficar em casa para garantir a eficácia das medidas de contenção da pandemia de covid-19.

 

Foi o que aconteceu na Europa, duramente castigada por surtos que mataram dezenas de muilhares no continente. Agora, com a recém-adquirida liberdade com condicionantes alcançada em alguns países, a ideia de andar de transporte público sem saber se ele foi devidamente higienizado ou ter que enfrentar horários de pico inevitavelmente lotados não é mais uma realidade para a maioria da população.

 

Leia também - Índia prolonga bloqueio total no país até o fim de maio

 

Enquanto muitos ainda precisam andar de trens, metrôs e ônibus, parte dos outros cidadãos estão buscando alternativas para conseguir se locomover pela cidade enquanto respeitam as normas de distanciamento social e não correm risco de serem infectados. Com isso, as bicicletas ganharam espaço e incentivo do governo.

 

Usar bicicleta é um 'dever cidadão'
No Reino Unido, o secretário de Estado dos Transportes, Grant Shapps, endossou o meio de transporte e anunciou que o país vai investir R$ 14 bilhões até 2025 para melhorar as vias para ciclistas e estradas públicas e no teste de scooters elétricos, com a intenção de incentivar uma mudança nos hábitos da população a longo prazo.

 

O secretário avisou que o transporte público britânico não vai operar com plena capacidade quando o país suspender de vez a quarentena e as restrições de movimento, o que vai forçar os cidadãos a encontrar outros meios de locomoção, e que as medidas de distanciamento social serão aplicadas, o que implica em menos passageiros.

 

Para Shapps, é um “dever cidadão” evitar usar os meios de transporte coletivos e optar por carros, bicicletas ou andar a pé.

 

Na quinta-feira (14), londrinos voltaram ao trabalho e relataram medo e preocupação ao usarem o transporte público, relatou a agência EFE. Mas, mesmo preocupados, eles tiveram que pegar ônibus e metrôs cheios e reclamaram da falta de ajuda e planos do governo para evitar a situação.

 

Ajuda para comprar bicicletas
Na Itália o apoio vai ser financeiro. Até o final de 2020, quem comprar bicicletas de até 500 euros, cerca de R$ 3,1 mil, poderá ter uma ajuda do governo para bancar até 60% do valor.

 

O governo espera que sejam destinados até 120 milhões de euros, ou R$ 757 milhões, para ajudar na mudança de hábito dos habitantes. A ajuda é válida para qualquer cidadão que more em uma cidade com mais de 50 mil pessoas e vale para qualquer tipo de veículo não contaminante, como patinetes clássicos ou elétricos e bicicletas convencionais e elétricas.

 

Em Paris, capital da França, a mudança de hábito já é sentida por donos de lojas de bicicletas e de reparos, que viram um aumento no número de clientes que querem evitar o transporte público e minimizar o risco de infecção pelo coronavírus. A cidade já tinha cerca de mil quilômetros de ciclovias e está pronta para o aumento de ciclistas.

 

Na Holanda, a saída de casa é uma parte nova da rotina e crianças aproveitaram a liberação do governo para sair com os pais e pedalar pelas ruas, agora vazias.

 

Em Budapeste, na Hungria, o governo local está implementando mais ciclovias, para estimular o uso de meio de transporte individual.

Voltar Imprimir

Publicidade

Comentários

Enquete

Com abertura do comércio, bares, igrejas e retomada de festas, você já retomou à rotina?

Parcial

Edição digital

Quarta-feira, 28/10/2020

imagem
imagem
imagem
imagem
imagem
imagem

Publicidade

btn-4

Indicadores

Milho Disponível R$ 61,70 0,16%

Algodão R$ 130,32 1,33%

Boi à vista R$ 247,18 0,00%

Soja Disponível R$ 167,00 1,21%

Publicidade

Classi fácil
btn-loja-virtual

Publicidade

Mais lidas

Publicidade

O Grupo Gazeta reúne veículos de comunicação em Mato Grosso. Foi fundado em 1990 com o lançamento de A Gazeta, jornal de maior circulação e influência no Estado. Integram o Grupo as emissoras Gazeta FM, FM Alta Floresta, FM Barra do Garças, FM Poxoréu, Cultura FM, Vila Real FM, TV Vila Real 10.1, TV Pantanal 22.1, o Instituto de Pesquisa Gazeta Dados, Gráfica Millenium e o Portal Gazeta Digital.

Copyright© 2020 - Gazeta Digital - Todos os direitos reservados Logo Trinix Internet

É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem a devida citação da fonte.