Publicidade

Cuiabá, Terça-feira 07/04/2020

Cidades - A | + A

PONTE JULIO MÜLLER 24.01.2020 | 14h42

Homem flagra pesca predatória no rio Cuiabá durante piracema

Facebook Print google plus

Edson Rodrigues/Secopa

Edson Rodrigues/Secopa

Um homem não identificado registrou dois pescadores usando uma rede longa no Rio Cuiabá, próximo à ponte Julio Muller, na manhã desta sexta-feira (24). A piracema, período de reprodução dos peixes e que fica vedada a pesca predatória, termina somente no dia 31 de janeiro.

 

Nas imagens, o homem flagra os pescadores dividindo um barco e lançando a rede no rio. Os pescadores notam que ele está gravando e começam a se esconder. O homem ainda relata que foi xingado por eles.

 

Leia também - Fim de semana tem chuva, calor e alerta de temporais para MT

 

“Centro de Cuiabá, olha o tamanho do lance de rede”, diz, revoltado. Ele também faz alusão ao polêmico projeto “Cota Zero”, que proíbe a pesca e comercialização do pescado por 5 anos, que ainda está em tramitação na Assembleia Legislativa e cita o governador Mauro Mendes (DEM), criticando a falta de fiscalização nos rios do Estado.

 

A proibição anual da pesca no período da piracema em Mato Grosso começou no dia 1 de outubro. A pesca de subsistência, desembarcada, que é praticada artesanalmente por populações ribeirinhas ou tradicionais, para garantir a alimentação familiar e sem fins comerciais é permitida. No entanto, a cota diária é de três quilos.

 

Quem desrespeitar a legislação poderá ter o pescado e equipamentos apreendidos, além de levar multa no valor de R$ 1 mil a R$ 100 mil, com acréscimo de R$ 20 por quilo de peixe encontrado.

 

Veja o vídeo

Outro lado

A reportagem entrou em contato com a Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema), que incentiva cidadãos a denunciarem casos como esse. Quem flagrar pesca predatória durante o período de piracema, pode denunciar à Ouvidoria Setorial da Sema, pelo telefone 0800-65-3838 ou no site da Secretaria.

Voltar Imprimir

Publicidade

Comentários

Marlan - 25/01/2020

O ESTADO NÃO TEM ESTRUTURA ADMINISTRATIVA, PESSSOAL E PRINCIPALMENTE, OPERACIONAL, PARA FISCALIZAR A PESCA PREDATÓRIA, SEQUER NO PERÍMETRO URBANO DA GRANDE CUIABÁ, QUANTO MAIS EM TODO O TERRITÓRIO ESTADUAL. PROVA DISSO É O VÍDEO ACIMA, ISSO É PÚBLICO E NOTÓRIO, BASTA PASSAR SOBRE AS PONTES QUE MUITO PROVAVELMENTE, IRÃO SE DEPARAR COM PESCADORES ATUANDO, TRANQUILAMENTE. NÃO PRECISA PROIBIR A PESCA POR 5 ANOS, BASTA TORNAR A PESCA PREDATÓRIA UM CRIME INAFIANÇÁVEL, COM UMA PENA DE PRISÃO RIGOROSA, AUMENTADA EM PERÍODO DE PIRACEMA. E DOTAR OS ÓRGÃOS DE FISCALIZAÇÃO DOS RECURSOS NECESSÁRIOS À EFETIVA FISCALIZAÇÃO. CASO CONTRÁRIO AS FUTURAS GERAÇÕES NÃO IRÃO CONHECER A MAIORIA DAS ESPÉCIES DE PEIXES...

1 comentários

1 de 1

Enquete

A cloroquina está liberada para o tratamento dos pacientes do coronavírus no Brasil, mas a polêmica continua

Parcial

Edição digital

Terça-feira, 07/04/2020

imagem
imagem
imagem
imagem
imagem
imagem

Publicidade

btn-4

Indicadores

Milho Disponível R$ 18,95 -0,52%

Algodão R$ 90,12 0,23%

Boi a Vista R$ 135,33 0,00%

Soja Disponível R$ 73,60 -0,54%

Publicidade

Classi fácil
btn-loja-virtual

Publicidade

Mais lidas

Publicidade

O Grupo Gazeta reúne veículos de comunicação em Mato Grosso. Foi fundado em 1990 com o lançamento de A Gazeta, jornal de maior circulação e influência no Estado. Integram o Grupo as emissoras Gazeta FM, FM Alta Floresta, FM Barra do Garças, FM Poxoréu, Cultura FM, Vila Real FM, TV Vila Real, o Instituto de Pesquisa Gazeta Dados, Gráfica Millenium e o Portal Gazeta Digital.

Copyright© 2019 - Gazeta Digital - Todos os direitos reservados Logo Trinix Internet

É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem a devida citação da fonte.