Publicidade

Cuiabá, Sábado 05/12/2020

Política de MT - A | + A

vaga no senado 14.01.2020 | 09h29

Blairo cobra Geller sobre reunião com Emanuel e Campos

Facebook Print google plus

Marcus Vaillant

Marcus Vaillant

O ex-ministro da Agricultura Blairo Maggi (PP) cobrará explicações do deputado federal Neri Geller (PP), pela participação na reunião suprapartidária liderada pelo prefeito Emanuel Pinheiro (MDB) e pelos irmãos Jayme e Júlio Campos - ambos do DEM - na semana passada.

 

Maggi não teria gostado do tom da conversa do grupo, que pretende definir uma candidatura ao Senado representando a Baixada Cuiabana através de uma pesquisa de intenção de voto. "Acompanhei pela imprensa e o que li não gostei. O discurso. Querem montar uma candidatura contra os tubarões. Quem são esses tubarões? Querem combater o que?", questionou Blairo, que se encontra fora da capital mato-grossense. 

 

Segundo Maggi, qualquer aliança entre partidos deve buscar aglutinar e não dividir. "Começaram errado, porque na política o melhor é construir a unidade, a convergência, e pelo que li não é esse o objetivo". 

 

Leia também - Vereadores podem seguir com CPI que investiga prefeito, decide Justiça

 

Blairo também questionou o fato da participação do PP no grupo e com a inclusão do nome de Geller na pesquisa do grupo. "Primeiro, é que até onde sei, não houve nenhuma reunião para deliberar se devemos ou não fazer parte daquela aliança. E outra, que além do Neri que tem todo o direito de querer ser candidato, também temos o nome da Margareth Buzetti no partido que quer disputar o Senado também. Então precisamos definir isso antes de pensar em qualquer aliança".

 

Maggi deverá solicitar uma reunião do PP para iniciar as discussões da disputa ao Senado. Neri Geller, que é o presidente estadual da sigla, deverá convocar o encontro ainda em janeiro. O ex-ministro deverá expor sua opinião, mas deverá se abster de ter a palavra decisiva. Isso porque dois de seus afilhados políticos também avaliam disputar a eleição suplementar.

 

O seu ex-suplente, Cidinho Santos (PL), que assumiu o mandato no Senado enquanto Maggi foi ministro, e seu compadre Adilton Sachetti, pelo PRB. Para evitar desgaste dentro do PP, Maggi deverá deixar a decisão do PP, em lançar uma candidatura ao senado ou compor com outros partidos para a executiva estadual.

 

"Não quero ficar com o poder de decisão. Já que estou afastado da política, não tem porque eu liderar o partido em uma decisão dessas", finalizou.

Voltar Imprimir

Publicidade

Comentários

Edição digital

Sexta-feira, 04/12/2020

imagem
imagem
imagem
imagem
imagem
imagem

Publicidade

btn-4

Indicadores

Milho Disponível R$ 59,70 -0,17%

Algodão R$ 126,18 -0,57%

Boi à vista R$ 249,16 -1,37%

Soja Disponível R$ 153,00 0,00%

Publicidade

Classi fácil
btn-loja-virtual

Publicidade

Mais lidas

Publicidade

O Grupo Gazeta reúne veículos de comunicação em Mato Grosso. Foi fundado em 1990 com o lançamento de A Gazeta, jornal de maior circulação e influência no Estado. Integram o Grupo as emissoras Gazeta FM, FM Alta Floresta, FM Barra do Garças, FM Poxoréu, Cultura FM, Vila Real FM, TV Vila Real 10.1, TV Pantanal 22.1, o Instituto de Pesquisa Gazeta Dados, Gráfica Millenium e o Portal Gazeta Digital.

Copyright© 2020 - Gazeta Digital - Todos os direitos reservados Logo Trinix Internet

É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem a devida citação da fonte.