Publicidade

Cuiabá, Terça-feira 20/10/2020

Política de MT - A | + A

DISPUTA AO SENADO 15.09.2020 | 07h29

Mendes diz que gestão de Taques foi 'melancólica' e que ele será julgado pelo povo novamente

Facebook Print google plus

João Vieira/Chico Ferreira

João Vieira/Chico Ferreira

O governador Mauro Mendes (DEM) classificou como 'melancólico' o final da gestão do ex-chefe do Executivo estadual Pedro Taques (Solidariedade), que é pré-candidato à disputa pelo Senado. Para Mendes, participar de uma nova eleição será uma nova chance do ex-governador ser 'julgado' pela sociedade, o que já aconteceu nas eleições de 2018, quando Tauqes não conseguiu se reeleger.

 

À imprensa, na segunda-feira (14), o democrata afirmou que o ex-governador já foi julgado pelo povo nas urnas à época do pleito para o Palácio Paiaguás em 2018 e será novamente avaliado pela população caso decida participar da disputa ao Senado.

 

Leia também - Éder é condenado a mais 18 anos e multa de R$ 141 milhões

 

Na fala de Mendes, que não poupou críticas a Taques, além de melancólica a gestão do ex-governador não apresentou resultados positivos. O democrata defendeu seu posicionamento asseverando que os números do Governo anterior são públicos para qualquer um que queira consultá-los.

 

"Ele pode responder por isso como qualquer pessoa pode responder por aquilo que fez ou deixou de fazer. Ele vai disputar uma eleição, se apresentar e certamente será questionado sobre isso. Agora, tudo o que eu falei e que eu falo é público. Aquilo é a mais absoluta verdade ancorada em números e dados que é de amplo conhecimento", argumentou o governador.

 

"A gestão dele não produziu resultados positivos. E o final dele foi melancólico, mas ele foi julgado nas urnas lá. Então, se ele quer um novo julgamento certamente a população dará, como dará a todos que se apresentarem aqueles que se colocam como candidatos", reiterou Mendes.

 

Conforme noticiado pelo portal , a executiva nacional do Solidariedade convenceu Taques a participar do pleito ao Senado. À reportagem, o ex-governador apontou que mesmo 'em silêncio' por quase dois anos ainda acumulava intenções de votos em pesquisas eleitorais.

Voltar Imprimir

Publicidade

Comentários

MANOEL CUNHA FILHO - 15/09/2020

DEPOIS DO DESASTROSO E CORRUPTO GOVERNO DE SILVAR BARBOSA, PEDRO TAQUES TEVE DIFICULDADES PARA GOVERNAR. TODAVIA RESTAUROU A VISAO DE MILHARES DE CEGOS, NAO ATRASOU PROVENTOS DOS SERVIDORES, SAIU POBRE DO GOVERNO. A PROVA DE QUE CONDUZIU BEM A ECONOMIA DO ESTADO FOI QUE MAURO MENDES ESCOLHEU PARA SEU GOVERNO, O MESMO SECRETARIO DA FAZENDA DE PEDRO TAQUES. ALEM DE TUDO, TAQUES FOI UM SENADOR MUITO RESPEITADO.

ILDO PEREIRA - 15/09/2020

REALMENTE SERA, MAS SE DEPENDER DOS PEQUENOS EMPRESARIOS E COMERCIANTES JUNTAMENTE COM OS FUNCIONARIOS PUBLICOS ELE SERA ELEITO POIS FOI UM OTIMO GOVERNADOR, SR MAURO MENDES, ELE NUNCA FEZ LOBBY PRA SETOR ALGUM.

Keila - 15/09/2020

Pois é ne seu governador, Se vc não colocar suas barbas de molho,será o próximo a ter o mesmo fim como o Pedro Taques na política.

3 comentários

1 de 1

Enquete

Como você avalia a ausência de um candidato convidado para debater com adversários?

Parcial

Edição digital

Terça-feira, 20/10/2020

imagem
imagem
imagem
imagem
imagem
imagem

Publicidade

btn-4

Indicadores

Milho Disponível R$ 23,35 0,86%

Algodão R$ 119,75 0,53%

Boi a Vista R$ 132,93 -0,50%

Soja Disponível R$ 71,50 -0,69%

Publicidade

Classi fácil
btn-loja-virtual

Publicidade

Mais lidas

Publicidade

O Grupo Gazeta reúne veículos de comunicação em Mato Grosso. Foi fundado em 1990 com o lançamento de A Gazeta, jornal de maior circulação e influência no Estado. Integram o Grupo as emissoras Gazeta FM, FM Alta Floresta, FM Barra do Garças, FM Poxoréu, Cultura FM, Vila Real FM, TV Vila Real 10.1, TV Pantanal 22.1, o Instituto de Pesquisa Gazeta Dados, Gráfica Millenium e o Portal Gazeta Digital.

Copyright© 2020 - Gazeta Digital - Todos os direitos reservados Logo Trinix Internet

É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem a devida citação da fonte.