Publicidade

Cuiabá, Domingo 05/07/2020

Política de MT - A | + A

Deu em A Gazeta 01.11.2019 | 07h44

MP investiga vereador de Cuiabá por crimes sexuais contra adolescentes

Facebook Print google plus
Lázaro Thor Borges

lazaro@gazetadigital.com.br

João Vieira

João Vieira

O vereador Adevair Cabral (PSDB) é investigado pelo Ministério Público de Mato Grosso (MPMT) por favorecimento da prostituição, exploração sexual de vulnerável e crimes contra a criança e o adolescente. O vereador é alvo de investigação preliminar desde o dia 31 de agosto de 2017, quando o Ministério Público abriu procedimento investigatório para apurar o caso depois de uma denúncia anônima que foi protocolada no órgão.

 

Ao ser procurado pela reportagem, o vereador informou desconhecer a acusação e negou que tenha cometido qualquer tipo de crime contra menores de idade. A denúncia foi protocolada 5ª Promotoria de Justiça Criminal de Várzea Grande e, logo em seguida, em agosto de 2017, foi encaminhada pelo promotor Mauro Poderoso de Souza para a Polícia Judiciária Civil.

A Delegacia da Mulher em Várzea Grande, responsável por investigar denúncias do tipo, realizou as diligências necessárias e devolveu o caso para a 5ª Promotoria. Atualmente o processo está nas mãos da promotora Anne Karine Louzich Hugueney Wiegert. O último andamento do processo é do dia 18 de agosto deste ano. A promotora Anne Karine é quem vai decidir se abre ou não inquérito investigativo após o processo de apuração preliminar.

 

A acusação de Adevair é principalmente referente ao artigo 228, do Código Penal Brasileiro que tipifica o ato criminoso de ‘induzir alguém menor de 14 anos a satisfazer a lascívia de outrem’. O crime prevê pena de 2 a 5 anos de prisão. Ele também pode responder pelos crimes previstos no artigo 228-B, que prevê o crime de ‘submeter, induzir ou atrair à prostituição ou outra forma de exploração sexual alguém menor de 18 anos’, com pena 1 a 5 anos de reclusão.

 

Além de Adevair também foi denunciado Jaburitã Francisco Nunes e o ‘Clube Aspe’, onde os crimes teriam ocorrido. A Aspe é a Associação dos Servidores da Prefeitura, fundada por Adevair Cabral e já presidida por ele. O clube fica em Várzea Grande, no bairro Guarita II, entre o Chapéu do Sol e o distrito de Passagem da Conceição. O clube pertence à entidade, mas também é arrendado por particulares. No procedimento investigatório, o local é citado como possível ‘casa de prostituição’.

 

Jaburitã Francisco Nunes é filiado ao PDT, partido pelo qual Adevair concorreu para o cargo de deputado estadual, em 2014. Naquelas eleições, em que saiu derrotado, Jaburitã chegou a doou serviços de motorista ao vereador, avaliados em R$ 1500 segundo a prestação de contas entregue no Tribunal Regional Eleitoral (TRE-MT).

 

Confira reportagem completa na edição do Jornal A Gazeta

Voltar Imprimir

Publicidade

Comentários

Enquete

Governo federal está liberando R$ 1.045 do FGTS por trabalhador para movimentar a economia. O que você fará com o benefício?

Parcial

Edição digital

Domingo, 05/07/2020

imagem
imagem
imagem
imagem
imagem
imagem

Publicidade

btn-4

Indicadores

Milho Disponível R$ 19,52 0,51%

Algodão R$ 93,18 -0,26%

Boi a Vista R$ 136,00 0,00%

Soja Disponível R$ 65,40 0,15%

Publicidade

Classi fácil
btn-loja-virtual

Publicidade

Mais lidas

Publicidade

O Grupo Gazeta reúne veículos de comunicação em Mato Grosso. Foi fundado em 1990 com o lançamento de A Gazeta, jornal de maior circulação e influência no Estado. Integram o Grupo as emissoras Gazeta FM, FM Alta Floresta, FM Barra do Garças, FM Poxoréu, Cultura FM, Vila Real FM, TV Vila Real 10.1, TV Pantanal 22.1, o Instituto de Pesquisa Gazeta Dados, Gráfica Millenium e o Portal Gazeta Digital.

Copyright© 2020 - Gazeta Digital - Todos os direitos reservados Logo Trinix Internet

É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem a devida citação da fonte.