Publicidade

Cuiabá, Terça-feira 11/08/2020

Política Nacional - A | + A

denúncias contra o presidente 11.05.2020 | 08h09

PF ouve hoje Maurício Valeixo, Ramagem e ex-superintendente no caso Sérgio Moro

Facebook Print google plus

Denis Ferreira Netto

Denis Ferreira Netto

A PF (Polícia Federal) definiu uma agenda ao longo desta semana para colher os depoimentos das pessoas citadas no depoimento do ex-ministro Sergio Moro em relação às investigações que envolvem o presidente Jair Bolsonaro. A expectativa é de que todas as testemunhas sejam ouvidas até sexta-feira (15).

 

Na última sexta-feira (8), o ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) informou que recebeu o vídeo da reunião ministerial citada pelo ex-ministro Sérgio Moro em depoimento à PF (Polícia Federal).

 

Leia também - STF decreta luto em respeito a brasileiros mortos pela covid-19

 

Nesta segunda-feira (11), por volta de 9h da manhã, será ouvido na sede da Superintendência da Polícia Federal do Paraná, em Curitiba, Maurício Valeixo, ex-diretor-geral da PF.

 

Ele poderá revelar detalhes sobre a tratativa de sua exoneração do cargo, inclusive se foi demitido a pedido, como afirmou Bolsonaro em um discurso que fez horas após Moro anunciar a própria saída do Ministério da Justiça e Segurança Pública.

Na parte da tarde, em Brasília, por volta das 15h, Ricardo Saadi, que foi superintendente da Polícia Federal no Rio de Janeiro, deve prestar depoimento na sede da PF na capital federal.


Saadi chefiou a PF no Rio e foi substituído por Carlos Henrique Oliveira, em uma primeira tentativa de Bolsonaro trocar esta liderança no estado em que tem base política em dezembro do ano passado.

 

No mesmo horário, deve ser ouvido Alexandre Ramagem, diretor da Abin (Agência Brasileira de Inteligência), e que teve sua nomeação como diretor-geral da PF derrubada por uma decisão monocrática do ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) Alexandre de Moraes.

 

Na terça-feira (12), por volta das 14h, os ministros citados como testemunha das supostas interferências de Bolsonaro devem prestar depoimento no Palácio do Planalto. Devem ser ouvidos o ministro Luiz Eduardo Ramos, da Secretaria de Governo; o general Augusto Heleno, do Gabinete de Segurança Institucional; e Walter Braga Netto, da Casa Civil.

 

Os militares teriam presenciado o discurso do presidente contra Moro, caso ele não concordasse com a troca da direção-geral da PF.

 

Já na quarta-feira (13), é a vez da deputada federal Carla Zambelli ser ouvida na parte da tarde, na sede da Polícia Federal em Brasília.

 

A deputada é apontada por Moro, que é seu padrinho de casamento, como interlocutora de Bolsonaro para tentar convencê-lo de aceitar a troca na liderança da PF e do superintendente do Rio de Janeiro.

 

Além disso, outras duas pessoas, ainda não reveladas, devem prestar depoimento na quinta-feira (14), na sede da Superintendência da Polícia Federal em Curitiba.

Voltar Imprimir

Publicidade

Comentários

Enquete

Toda a polêmica envolvendo a morte da adolescente é por dúvida se o tiro foi acidental?

Parcial

Edição digital

Terça-feira, 11/08/2020

imagem
imagem
imagem
imagem
imagem
imagem

Publicidade

btn-4

Indicadores

Milho Disponível R$ 26,35 -1,13%

Algodão R$ 94,47 0,12%

Boi a Vista R$ 138,20 -0,40%

Soja Disponível R$ 68,00 -0,18%

Publicidade

Classi fácil
btn-loja-virtual

Publicidade

Mais lidas

Publicidade

O Grupo Gazeta reúne veículos de comunicação em Mato Grosso. Foi fundado em 1990 com o lançamento de A Gazeta, jornal de maior circulação e influência no Estado. Integram o Grupo as emissoras Gazeta FM, FM Alta Floresta, FM Barra do Garças, FM Poxoréu, Cultura FM, Vila Real FM, TV Vila Real 10.1, TV Pantanal 22.1, o Instituto de Pesquisa Gazeta Dados, Gráfica Millenium e o Portal Gazeta Digital.

Copyright© 2020 - Gazeta Digital - Todos os direitos reservados Logo Trinix Internet

É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem a devida citação da fonte.