Publicidade

Cuiabá, Quarta-feira 13/11/2019

Judiciário - A | + A

IRREGULAR 15.10.2019 | 15h39

Justiça manda suspender sindicância contra Carlos Novelli

Facebook Print google plus
Jessica Bachega e Pablo Rodrigo

redacao@gazetadigital.com.br

TCE

TCE

O desembargador Mário Roberto Kono de Oliveira, do Tribunal de Justiça, acolheu recurso do conselheiro afastado José Carlos Novelli e determinou que o Tribunal de Contas do Estado (TCE) suspenda tomada de contas de sua gestão.

 

Leia também -Auditores apontam desvios de R$ 137 milhões no TCE

 

“Ante o exposto, defiro em parte o pedido de liminar postulado no writ, determinando ao Presidente do Tribunal de Contas do Estado de Mato Grosso, a imediata suspensão da Tomada de Contas Ordinária nº 37310-9/2018 e da Representação de Natureza Interna nº 31377-7/2018”, diz trecho da decisão desta terça-feira (15).

 

Conforme o documento, a sindicância instaurada no TCE visa apurar possíveis irregularidades em contratos de Tecnologia da Informação firmados entre os anos de 2012 e 2015, quando Novelli presidiu o órgão. A apuração é conduzida pela conselheira interina Jaqueline Jacobsen, porém é irregular por não ter recebido autorização do presidente do Tribunal, Gonçalo Domingos de Campos Neto, item previsto no Regimento Interno, segundo o conselheito afastado.

 

“Afirma que a Conselheira Interina conduz os processos administrativos de forma arbitrária e abusiva, visando tumultuar as investigações conduzidas pelo Superior Tribunal de Justiça, com o intuito de permanecer na função de Conselheira de forma definitiva, fato que a torna suspeita para exercer a relatoria da Tomada de Contas e da Representação de Natureza Interna”, diz o documento.

 

No recurso, Novelli também cita que o auditor, o coordenador e o supervisor que atuam no procedimento são suspeitos, pois estavam no setor no período alvo da investigação.

 

O desembargador reconhece os argumentos do impetrante, sobre indícios de vídeo na sindicância e omissão do presidente do Tribunal. Pontua também que há sinais de interesse na conduta da conselheira relatora, pois ela ocupa a cadeira deixada por Novelli, afastado do cargo em 2017 por força de decisão judicial devido à suposto envolvimento em atos de corrupção, delatados elo ex-governador Silval Barbosa (sem partido).

 

Auditores do Tribunal de Contas do Estado (TCE-MT) identificaram, no próprio tribunal, um desvio de mais de R$ 137 milhões em dinheiro público por meio de contratos de Tecnologia da Informação, firmados em um curto período de tempo, entre 2012 e 2015.

 

As informações sobre o desvio foram compartilhadas com a Polícia Federal (PF) e com o Ministério Público Federal (MPF), responsáveis por investigar a conduta dos conselheiros titulares do TCE, que foram afastados pelo Supremo Tribunal Federal (STF) por suspeitas de receber dinheiro de propina.

Voltar Imprimir

Publicidade

Comentários

Jornal do Meio Dia - JM

Jornal do Meio Dia - JM

GD

GD

Enquete

O fraco desempenho de um time de futebol é culpa do técnico ou jogadores?

Parcial

Edição digital

Quarta-feira, 13/11/2019

imagem
imagem
imagem
imagem
imagem
imagem

Publicidade

btn-4

Indicadores

Milho Disponível R$ 18,80 2,45%

Algodão R$ 92,10 -0,16%

Boi a Vista R$ 137,00 -0,36%

Soja Disponível R$ 68,20 0,29%

Publicidade

Classi fácil
btn-loja-virtual

Publicidade

Mais lidas

Publicidade

O Grupo Gazeta reúne veículos de comunicação em Mato Grosso. Foi fundado em 1990 com o lançamento de A Gazeta, jornal de maior circulação e influência no Estado. Integram o Grupo as emissoras Gazeta FM, FM Alta Floresta, FM Barra do Garças, FM Poxoréu, Cultura FM, Vila Real FM, TV Vila Real, o Instituto de Pesquisa Gazeta Dados, Gráfica Millenium e o Portal Gazeta Digital.

Copyright© 2019 - Gazeta Digital - Todos os direitos reservados Logo Trinix Internet

É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem a devida citação da fonte.