Publicidade

Cuiabá, Quinta-feira 24/09/2020

Política de MT - A | + A

Deu em A Gazeta 10.08.2020 | 07h37

Mais de R$ 600 mi são recuperados com a Operação Ararath

Facebook Print google plus
Lázaro Thor Borges

lazaro@gazetadigital.com.br

João Vieira

João Vieira

O trabalho investigativo e de recuperação de ativos da Operação Ararath já conseguiu fazer com que R$ 647 milhões retornassem para os cofres públicos. A recuperação de ativos pelo MPF entrou em rota de polêmica na última semana depois que o Tribunal de Contas da União (TCU) tirou da mão do órgão a exclusividade de realizar acordos de leniência.


O valor foi recuperado por meio da restituição efetiva de recursos desviados aos cofres públicos, através de acordos de delação premiada, e através da Receita Federal do Brasil, que entre 2014 e 2016 trabalhou em conjunto com os investigadores por meio da Equipe Especial de Fiscalização da Ararath.


Ao todo, o valor restituído por conta de acordos de colaboração foi de R$ 243 milhões. Apenas o ex-governador Silval Barbosa restituiu aos cofres públicos R$ 70 milhões em bens e em espécie. O valor recuperado através dos trabalhos da Receita Federal foi de R$ 431 milhões.


A delação de Silval também teve um efeito significativo na estimativa do rombo provocado pelo esquema criminoso perseguido pelos investigadores da Ararath. Antes da delação, chamada de monstruosa no Supremo Tribunal Federal (STF) a estimativa era de que o rombo nos cofres públicos era de R$ 500 milhões. Depois da delação, com a percepção da situação real do esquema, a estimativa aumentou para R$ 1 bilhão.


Bens indisponíveis
A Ararath provocou a indisponibilização de R$ 326 milhões em bens imóveis e imóveis através do sistema Bancejud. A Receita inscreveu em Dívida Ativa R$ 1,47 bilhão. Por conta disso, existe ainda a previsão de que mais valores sejam recuperados ao longo dos próximos anos.


Até a sua quinta fase, realizada em meados de 2018, o último boletim sobre a recuperação de ativos disponibilizado pela Ararath mostrava que a operação já havia recuperado R$ 431 milhões. Atualmente a operação está na sua décima sexta fase, entre os desdobramentos mais recentes estão investigações referentes ao TCE-MT, que teve seus conselheiros titulares afastados.


Leia mais notícias sobre Política de MT na edição do Jornal A Gazeta

Voltar Imprimir

Publicidade

Comentários

paulo RODRIGUES DE BRITO - 10/08/2020

parabens ao minsterios poblicos de mt dinheiros publicos nao tem que esta nas maos de bandidos so assim vamos ter respeitos para o mundo

cidão - 10/08/2020

parabéns a policia federal só assim os crimes são resolvidos.

2 comentários

1 de 1

Enquete

Onze candidatos disputam o Senado, você acha que o número amplia o leque de propostas ou mostra a desunião da classe política?

Parcial

Edição digital

Quinta-feira, 24/09/2020

imagem
imagem
imagem
imagem
imagem
imagem

Publicidade

btn-4

Indicadores

Milho Disponível R$ 20,35 1,24%

Algodão R$ 92,14 -0,17%

Boi a Vista R$ 136,33 0,00%

Soja Disponível R$ 64,30 -0,31%

Publicidade

Classi fácil
btn-loja-virtual

Publicidade

Mais lidas

Publicidade

O Grupo Gazeta reúne veículos de comunicação em Mato Grosso. Foi fundado em 1990 com o lançamento de A Gazeta, jornal de maior circulação e influência no Estado. Integram o Grupo as emissoras Gazeta FM, FM Alta Floresta, FM Barra do Garças, FM Poxoréu, Cultura FM, Vila Real FM, TV Vila Real 10.1, TV Pantanal 22.1, o Instituto de Pesquisa Gazeta Dados, Gráfica Millenium e o Portal Gazeta Digital.

Copyright© 2020 - Gazeta Digital - Todos os direitos reservados Logo Trinix Internet

É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem a devida citação da fonte.