Publicidade

Cuiabá, Sábado 07/12/2019

Política de MT - A | + A

reflexos da grampolândia 04.11.2019 | 16h54

Zaqueu e Lesco falam na acareação e Siqueira fica calado

Facebook Print google plus

Chico Ferreira

Chico Ferreira

Em acareação remarcada nesta segunda-feira (4), os coronéis da Polícia Militar, Evandro Lesco, e Zaqueu Barbosa mantiveram seus depoimentos anteriores de que a ordem para destruir os grampos partiu do ex-governador Pedro taques (PSDB).

 

O coronel Airton Siqueira permaneceu em silêncio durante a acareação. Lesco e Barbosa são réus no processo da grampolândia pantaneira. 

 

Leia também - Advogado falta e acareação entre coronéis é cancelada

 

De acordo com a delegada responsável pela investigação, Ana Cristina Feldner, a acareação tratou especificamente da destruição dos áudios e grampos e foi proveitosa para dar andamento às investigações. Por enquanto, a apuração tenta resgatar os "embaraços" causados pelo Cabo Gerson, que tentou destruir as provas.

 

“Se a gente tivesse o material, já seria fácil ver quais números foram i interceptados, por quem, qual período, já teria a prova material. Então temos que produzir essa prova por outras técnicas”, explica a delegada.

 

Investigados pela grampolândia pantaneira, os coronéis ficaram frente a frente, sendo que Lesco e Zaqueu voltaram a afirmar que a ordem para destruir os materiais foi de Pedro Taques.


“Eles dizem que, realmente, as investigações ainda prosseguem, não está fechada e ainda não há conclusão, mas que a ordem teria partido então do então governador Pedro Taques e eles teriam obedecido essa ordem”, afirma Feldner.Ainda de acordo com Feldner, Siqueira optou por permanecer em silêncio durante a acareação, como uma opção de sua defesa. Era o seu depoimento que tinha pontos de divergência em relação às versões de Lesco e Zaqueu. O ex-governador nega participação no esquema e já pediu para falar durante as investigações.

 

O fato de ter ficado em silêncio, contudo, não atrapalha nas diligências. “A investigação tem uma dinâmica. A gente costuma até dizer ‘se fosse assim, era sempre todo mundo só ficar calado e a polícia nunca conseguiria ter êxito’. Nós temos outras técnicas também, várias testemunhas e provas técnicas, que vão mostrar qual é a verdade”.

 

Na próxima quarta-feira (6), começará o julgamento dos militares na Justiça da Polícia Militar. O advogado de Lesco, Stalyn Paniago, relatou que ele está colaborando e esclarecendo todos os fatos.

 

“A partir desse momento que ele adota uma postura colaborativa, nós queremos nos valer também do benefício da lei e vamos aguardar que o órgão colegiado da justiça milita possa deliberar esses pontos da situação vivenciada por ele. É um dos requerimentos que foram feitos e que pode agracia-lo, não só o coronel Lesco , mas como os demais que se entenderam”, disse. 

Voltar Imprimir

Publicidade

Comentários

Jornal do Meio Dia - JM

Jornal do Meio Dia - JM

Enquete

Qual palavra define melhor o ano de 2019 no Brasil?

Parcial

Edição digital

Sábado, 07/12/2019

imagem
imagem
imagem
imagem
imagem
imagem

Publicidade

btn-4

Indicadores

Milho Disponível R$ 21,10 9,33%

Algodão R$ 92,01 -0,35%

Boi a Vista R$ 138,00 0,36%

Soja Disponível R$ 66,70 0,15%

Publicidade

Classi fácil
btn-loja-virtual

Publicidade

Mais lidas

Publicidade

O Grupo Gazeta reúne veículos de comunicação em Mato Grosso. Foi fundado em 1990 com o lançamento de A Gazeta, jornal de maior circulação e influência no Estado. Integram o Grupo as emissoras Gazeta FM, FM Alta Floresta, FM Barra do Garças, FM Poxoréu, Cultura FM, Vila Real FM, TV Vila Real, o Instituto de Pesquisa Gazeta Dados, Gráfica Millenium e o Portal Gazeta Digital.

Copyright© 2019 - Gazeta Digital - Todos os direitos reservados Logo Trinix Internet

É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem a devida citação da fonte.