Publicidade

Cuiabá, Quarta-feira 02/12/2020

Judiciário - A | + A

Atuação comentada 29.10.2020 | 15h54

Justiça nega direito de resposta a Toninho contra Gazeta

Facebook Print google plus

Chico Ferreira

Chico Ferreira

O vereador Toninho de Souza (PSDB) teve direito de resposta negado pelo juiz Geraldo Fidelis, após ter sido alvo de comentários do apresentador Edivaldo Ribeiro, da TV Vila Real, que faz parte do Grupo Gazeta de Comunicação. O âncora fez declarações baseados na atuação do parlamentar no Legislativo municipal. Ele entrou com ação pedindo indenização moral, além de ter direito de resposta de 5 minutos no programa Cadeia Neles.

 

De acordo com a defesa do vereador, em um programa do Cadeia Neles exibido no dia 6 de outubro, o apresentador Edivaldo Ribeiro chama o parlamentar de “vereador do paletó”, por ele fazer parte da base de sustentação do prefeito Emanuel Pinheiro (MDB) no legislativo municipal.

 

Por cinco minutos, Edivaldo comentou sobre o posicionamento adotado por Toninho na Câmara. Em dado momento, chama o parlamentar de “cão de fila e defensor do paletó. Que serpentiou pelos caminhos mais tortuosos e indecentes para cassar o Abílio”.

 

Leia também - Justiça nega pedido de soltura de ex-mister que atirou contra PM

  

“Primeiro votou pelo impeachtment, depois voltou atrás e ficou ali cessado na sua razão, defendendo e defendendo o Emanuel Pinheiro até o final. Até arquivar a CPI do Paletó foi arquivada na semana passada. Ele era o relator ad comissão de ética”, continua Edivaldo.

 

A rusga começou quando Toninho saiu do Grupo Gazeta, onde trabalhou por 30 anos, e começou a apresentar um programa televisivo na TV Cidade Verde. Ele alega que passou a ser criticado pelos apresentadores das emissoras de rádio e televisão.

 

Contudo, o direito de resposta de Toninho foi negado, pois as críticas fazem parte da liberdade de expressão da imprensa. Além disso, por ser vereador e, logo, ter um cargo público, críticas e ofensas fazem parte do cotidiano.

 

“Ainda que a crítica seja dura e contundente, e tenha desagradado o requerente, aquele que exerce um cargo público, aquele que pretende se submeter a uma eleição, deve compreender e aceitar as críticas e as divergências”, disse o advogado Clauido Stábile Ribeiro.

 

Fora isso, o advogado ainda pontua que Toninho não quer um direto de resposta por ter sido ofendido, e sim, fazer “propaganda eleitoral” de si mesmo.

 

“O que pretende o requerente não é tempo para resposta, mas na realidade o requerente pretende utilizar o tempo de resposta como espaço para propaganda eleitoral gratuita irregular, utilizando-se de um programa com grande audiência para a sua promoção pessoal, o que a legislação eleitoral não admite”, criticou.

Voltar Imprimir

Publicidade

Comentários

Enquete

Com o resultado da eleição, você acredita em uma Cuiabá melhor a partir de 2021

Parcial

Edição digital

Quarta-feira, 02/12/2020

imagem
imagem
imagem
imagem
imagem
imagem

Publicidade

btn-4

Indicadores

Milho Disponível R$ 60,50 -0,82%

Algodão R$ 127,85 0,33%

Boi à vista R$ 253,11 -0,58%

Soja Disponível R$ 154,50 0,32%

Publicidade

Classi fácil
btn-loja-virtual

Publicidade

Mais lidas

Publicidade

O Grupo Gazeta reúne veículos de comunicação em Mato Grosso. Foi fundado em 1990 com o lançamento de A Gazeta, jornal de maior circulação e influência no Estado. Integram o Grupo as emissoras Gazeta FM, FM Alta Floresta, FM Barra do Garças, FM Poxoréu, Cultura FM, Vila Real FM, TV Vila Real 10.1, TV Pantanal 22.1, o Instituto de Pesquisa Gazeta Dados, Gráfica Millenium e o Portal Gazeta Digital.

Copyright© 2020 - Gazeta Digital - Todos os direitos reservados Logo Trinix Internet

É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem a devida citação da fonte.