Publicidade

Cuiabá, Quinta-feira 12/12/2019

Cidades - A | + A

Deu em A Gazeta 04.11.2019 | 07h40

Hospital de Cuiabá é entregue à população após 4 anos em obras

Facebook Print google plus

Otmar de Oliveira

Otmar de Oliveira

Pouco mais de 4 anos após a assinatura da ordem de serviço será inaugurada no dia 18 deste mês a 6ª e última etapa do Hospital Municipal de Cuiabá (HMC), o que significa que a unidade passa funcionar 100%. Paralelo a isso, o antigo Pronto-Socorro Municipal (PSMC) será esvaziado para que se inicie a obra do intitulado Hospital da Família (H-FAM), que está com a fase arquitetônica licitada. O prefeito Emanuel Pinheiro afirma que serviço de saúde oferecido na nova estrutura será de rede privada mas, para a população do Sistema Único de Saúde (SUS).

 

Em 2 de julho de 2015, o então prefeito de Cuiabá, Mauro Mendes, assinou a ordem de serviço do até então chamado de “Novo Pronto-Socorro”. Orçada em R$ 76,9 milhões, a obra deveria ser concluída em 20 meses, o que seria março de 2017. No entanto, a execução durou 4 anos e 4 meses, e segundo o atual prefeito foi realizada com o que há de melhor em infraestrutura, terá os melhores equipamentos e corpo clínico. “É um marco na saúde pública da Capital. Uma obra como esta só veremos daqui 100 anos e olhe lá”, afirma Pinheiro.

 

O prefeito frisa que a obra faz parte do programa federal “Desafio Chave de Ouro”, que consiste em um conjunto de obras e ações abrangentes e emblemáticas que são objeto de um esforço extra da União para que sejam empreendidas, iniciadas, inauguradas ou disponibilizadas à população. O governo federal distribuiu R$ 1 bilhão entre 20 obras espalhadas por todo país, sendo a do HMC, uma das beneficiadas. “Tenho orgulho em afirmar que fomos os primeiros e até agora únicos a entregar uma obra do programa”.

 

Questionado sobre o custeio do HMC, o prefeito informou que se reuniu com o diretor geral da Empresa Cuiabana de Saúde Pública (ECS), Alexandre Beloto, que é responsável pela gestão da unidade para discutir e comparar os valores do atual Pronto-Socorro e da nova unidade. “Gira em torno de R$ 12 milhões por mês e estamos tentando reduzir esse valor numa margem de 5% a 10%, sem prejudicar os atendimentos. Caso não seja possível, vamos manter esse valor para a administração do HMC”. O gestor acrescenta que com o passar do tempo e ampliação dos atendimentos novos recursos poderão ser destinados ao hospital pelo Ministério da Saúde.

 

Com a inauguração da 6ª e última etapa, o maior hospital do Estado contará com 315 leitos, distribuídos entre adulto masculino, feminino pediátrico (178), 60 UTIs, 38 de emergência, 20 do Centro de Tratamento de Queimados (CTQ), 13 de recuperação pós-anestésica e 6 salas de cirurgia.“É padrão de saúde privada para população do SUS. Aqui, paciente, acompanhante e funcionários já são tratados com o melhor padrão de qualidade de saúde”.

 

No HMC, atualmente são realizados 34 mil procedimentos por mês, ou quase 400 mil pessoas por ano. Esta é a estimativa mínima projetada para ser mantida em 2020. Transição Com relação à transferência dos pacientes em atendimento no PSMC, o gestor explica que esse movimento está acontecendo de forma gradativa, pois, há casos delicados que exigem cuidados redobrados. Afirmou que se houver paciente com risco de morte, este permanecerá em tratamento na antiga estrutura, até seu quadro clínico possibilitar a transferência. “Não vamos arriscar a vida de ninguém, pelo contrário, estamos justamente melhorando a estrutura da saúde de Cuiabá, priorizando o bem-estar da população”.

 

Confira reportagem completa na edição do Jornal A Gazeta

Voltar Imprimir

Publicidade

Comentários

Amanda - 04/11/2019

E o restante dos 600 candidatos aprovados nas vagas tidas como.imediatas?? Afinal já é a última etapa de inauguração e ainda restam esse pessoal a serem chamados...o TCE está de olho...

1 comentários

1 de 1

Enquete

Sobre o aumento no número de casamentos gays no Brasil no último ano

Parcial

Edição digital

Quinta-feira, 12/12/2019

imagem
imagem
imagem
imagem
imagem
imagem

Publicidade

btn-4

Indicadores

Milho Disponível R$ 22,75 0,89%

Algodão R$ 89,91 -0,12%

Boi a Vista R$ 137,50 0,36%

Soja Disponível R$ 67,85 0,22%

Publicidade

Classi fácil
btn-loja-virtual

Publicidade

Mais lidas

Publicidade

O Grupo Gazeta reúne veículos de comunicação em Mato Grosso. Foi fundado em 1990 com o lançamento de A Gazeta, jornal de maior circulação e influência no Estado. Integram o Grupo as emissoras Gazeta FM, FM Alta Floresta, FM Barra do Garças, FM Poxoréu, Cultura FM, Vila Real FM, TV Vila Real, o Instituto de Pesquisa Gazeta Dados, Gráfica Millenium e o Portal Gazeta Digital.

Copyright© 2019 - Gazeta Digital - Todos os direitos reservados Logo Trinix Internet

É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem a devida citação da fonte.