Publicidade

Cuiabá, Quinta-feira 17/10/2019

Gastronomia - A | + A

21.06.2019 | 08h19

Sabores que conquistaram o Brasil

Facebook Print google plus

Gastronomia

Divulgação

Divulgação

Em 18 de junho é celebrado a imigração japonesa no Brasil, a data marca o dia em que o primeiro navio com imigrantes japoneses chegou em mares tupiniquins, mais especificamente no porto de Santos, em São Paulo, no ano de 1908. A imigração nipônica é um acontecimento histórico, e, certamente, influenciou muito nos costumes do brasileiro. Quando se trata da vinda dos japoneses, uma coisa que vem logo em mente é a culinária deles, que acabou se tornando uma das mais amadas e saborosas entre nós.

Chico Ferreira

Comida japonesa

 

Muito rica em especiarias, temperos e molhos que agradam diversos tipos de paladares, a culinária japonesa no Brasil passou por algumas mudanças para se adaptar aos temperos que existem aqui e também a outros tipos de paladares, por isso, muitas vezes a comida é considerada diferente da que é consumida no Japão, visto que, ambos os povos possuem culturas diferentes, logo, as preferências mudam.

 

Paladar brasileiro

De acordo com a pesquisa Hábitos alimentares do brasileiro: preferências, dietas e tendências de consumo, realizada pela Banca do Ramon, quando se trata de culinária estrangeira, 31% dos brasileiros entrevistados preferem frequentar restaurantes asiáticos, e esse número não surpreende, uma vez, que a gastronomia oriental, mais precisamente a japonesa, se popularizou muito no Brasil na década de 90, época em que houve uma grande proliferação de restaurantes japoneses no país, especialmente em São Paulo. Ainda hoje é muito comum ver esses estabelecimentos, no entanto, hoje em dia, eles podem oferecer três tipos de ambientes e receitas: as contemporâneas, tradicionais e os famosos rodízios.

 

Segundo a nutricionista Nathália Gazarra, consultora da Banca do Ramon, essa popularização aconteceu, principalmente, porque a comida japonesa era considerada saudável. Comer em um restaurante japonês é considerado saudável, pois os alimentos são frescos e in natura e isso leva muitas pessoas a exagerarem na quantidade na hora da refeição e esquecem dos legumes, peixes e cogumelos nos pratos. É importante ficar atento ao modo de preparo, evitar frituras, muito comum na comida japonesa ocidental, e preferir preparações cozidas ou assadas, como no caso do guioza cozido e do salmão assado, por exemplo. Além disso, dependendo dos molhos e acompanhamentos que você escolher, pode deixar o prato mais calórico, como o temaki com creme cheese ou maionese, explica.

 

Não é fácil manter uma alimentação saudável e equilibrada diante de tantas tentações que existem no cardápio, no entanto, não é uma missão impossível, o ideal é consumir os alimentos crus, cozidos ou assados; moderação nos pratos que contenham arroz, pois eles normalmente contém açúcar na sua preparação; e, evitar os pratos que são fritos.

Vejas algumas dicas valiosas para saborear uma boa refeição sem medo:

 

Escolha bem o restaurante

Todo estabelecimento merece uma avaliada antes de ser escolhido. Neste caso, como os principais pratos são consumidos crus, qualquer descuido pode causar doenças. Então, é extremamente importante saber como o restaurante trabalha, a procedência dos alimentos, conhecer a qualidade do que é oferecido, etc. Vale até mesmo uma conversa com os profissionais da casa e uma avaliada nas redes sociais para saber o que os clientes acham.

Chico Ferreira

Comida japonesa

 

Se atente aos pratos

Os peixes como, salmão, atum e os frutos do mar são boas opções. São fonte de ômega 3 e possuem vitaminas A, D e E, além de serem ricos em cálcio, sódio e zinco. Os pratos mais tradicionais como o temaki e o sushi, possuem o gohan na composição, que é aquele arroz japonês que contém açúcar no preparo. Não tem problema em consumi-lo, porém, é mais calórico se você consumir uma quantidade exagerada, o que acontece muito quando as pessoas vão em rodízios e tendem a extrapolar na quantidade, detalha.

 

Molho

Mesmo optando pelas opções mais leves, o molho que acompanha pode ser muito calórico, então, é importante prestar atenção em alguns detalhes, como por exemplo, o molho shoyu, que é muito utilizado na cozinha oriental e apesar de dar um sabor mais acentuado nos pratos, ele possui sódio e o excesso dele pode fazer mal à saúde. Uma dica é substituir o shoyo tradicional pelo shoyo light, que contém menos sódio na composição. Tente espremer um pouco de limão em uma colher de sopa de shoyo para diluir ele um pouco, e assim consumir menos sódio. É preferível os molhos a base de limão e azeite. O shoyo combina bem com comida japonesa, mas é necessário cautela, porque é comum o exagero quando vamos a esses restaurantes, já que o ingrediente combina muito bem com os pratos, explica a nutricionista.

 

Benefícios

Não é apenas a culinária japonesa que merece alguns cuidados, todas as outras também precisam, mas como esse tipo de comida sempre teve uma fama entre as pessoas de ser saudável, é importante ressaltar que o consumo merece, sim, algumas cautelas.

A cozinha oriental oferece muitos benefícios a saúde.

 

Peixes como truta, salmão e atum são muito utilizados e são aliadas do coração e do cérebro, porque possuem ômega 3, uma gordura boa, chamada gordura poli-insaturada. Os benefícios mais conhecidos do ômega 3 é a proteção da saúde cardiovascular e cerebral.

 

O gengibre tem ação anti-inflamatório e ainda favorece a digestão. Além de auxiliar a neutralizar o sabor entre um prato e outro. Para quem quer emagrecer também é um ótimo aliado, pois ajuda a acelerar a queima de gordura.

 

O tofu, queijo vegetal muito consumido nos países asiáticos, é uma fonte de proteína, de magnésio, zinco, cobre e vitamina B1. 

Muitos restaurantes oferecem durante ou após a refeição, o chá verde. Além de ser antioxidante, auxilia muito na digestão. E é um hábito bem tradicional dos japoneses.

 

O cogumelo é bastante utilizado na cozinha japonesa e possui propriedades antioxidantes, tem poucas calorias e carboidratos, tem mais proteínas e ajudam a aumentar a imunidade e são fontes de zinco e vitamina B12. Os cogumelos utilizados nesta culinária são shitake e shimeji e para quem não quer sair da dieta, moderação com os molhos que acompanham.

 

O pepino também é muito utilizado na culinária oriental. Trata-se de um vegetal que tem em sua composição 95% de água. Por conta da quantidade de água ajuda na hidratação. Além de ter baixa caloria, tem potássio e fibra na composição. As algas, presentes, no sushi e temaki são boa fonte de fibras também.

Voltar Imprimir

Publicidade

Comentários

Jornal do Meio Dia - JM

Jornal do Meio Dia - JM

GD

GD

Enquete

O presidente Jair Bolsonaro deve sair do PSL?

Parcial

Edição digital

Quinta-feira, 17/10/2019

imagem
imagem
imagem
imagem
imagem
imagem

Publicidade

btn-4

Indicadores

Milho Disponível R$ 20,70 2,48%

Algodão R$ 91,67 -1,02%

Boi a Vista R$ 134,75 -0,19%

Soja Disponível R$ 66,25 -0,69%

Publicidade

Classi fácil
btn-loja-virtual

Publicidade

Mais lidas

Publicidade

O Grupo Gazeta reúne veículos de comunicação em Mato Grosso. Foi fundado em 1990 com o lançamento de A Gazeta, jornal de maior circulação e influência no Estado. Integram o Grupo as emissoras Gazeta FM, FM Alta Floresta, FM Barra do Garças, FM Poxoréu, Cultura FM, Vila Real FM, TV Vila Real, o Instituto de Pesquisa Gazeta Dados, Gráfica Millenium e o Portal Gazeta Digital.

Copyright© 2019 - Gazeta Digital - Todos os direitos reservados Logo Trinix Internet

É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem a devida citação da fonte.