Publicidade

Cuiabá, Sexta-feira 13/12/2019

Cidades - A | + A

residencial Jonas Pinheiro 05.11.2019 | 10h28

Ordem de despejo em 48 horas deixa 379 famílias aflitas

Facebook Print google plus

O sonho da casa própria se tornou pesadelo e tem tirado o sono de quem mora no Residencial Jonas Pinheiro 3, em Cuiabá. No sábado (2), os moradores receberam notificação, entregue pela polícia, para que deixem o local. Uma decisão judicial determinou que todos deixem os imóveis na quarta-feira (6).

 

Leia também - Guilherme Maluf é eleito presidente do TCE por unanimidade

 

No comunicado, entregue pelos policiais para as 379 famílias intimam as pessoas recolherem os pertences e buscarem outro lugar para morar. A medida visa evitar conflitos no momento da desapropriação, prevista para as 6h de quarta.

 

“Essa já é a terceira ordem de despejo. Conseguimos reverter as outras duas e esperamos ultrapassar essa também. Não temos para onde ir. Vamos ficar aqui até o último segundo”, afirma Karol Ribeiro, moradora do loteamento.

 

Reprodução

loteamento jonas pinheiro

 

O Jonas Pinheiro 3 foi idealizado, por meio de um convênio da Prefeitura de Cuiabá, Caixa Econômica Federal e Construtora Lumen, com o objetivo de abrigar famílias de diversas regiões de Cuiabá, que seriam selecionadas pela Secretaria Municipal de Habitação e Regularização Fundiária.

 

Financiado por meio do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC 2) e do Minha Casa Minha Vida, o conjunto habitacional deveria ter sido entregue ainda em 2014, mas estava abandonado até 2017, quando os ocupantes se reuniram para dividir as moradias entre eles.

 

“Quando a gente chegou aqui estava tudo destruído. Sem porta, sucateado. Nós pintamos, cuidamos e agora querem que a gente saia. Isso não é certo”, pontua Kelvin Paulo Luiz Santos, que mora há 1 ano e 7 meses no local, com a esposa e o filho.

 

De acordo com Karol Ribeiro, o abastecimento de água e energia no local é clandestino e muito precário. Esse é um ponto que os moradores também querem regularizar, para que vivam com tranquilidade e dignidade no loteamento.

 

“A gente não quer nada dado. Vamos pagar por isso. Só queremos nossa casa”, clama.

 

Representantes dos moradores estão em tratativas com a Prefeitura de Cuiabá para reverter a decisão de despejo. Caso não haja acordo, a população local fará protesto na tarde desta terça-feira (5).

Galeria de fotos

Voltar Imprimir

Publicidade

Comentários

Jornal do Meio Dia - JM

Jornal do Meio Dia - JM

Enquete

Qual sua opinião sobre a propaganda partidária em rádio e TV?

Parcial

Edição digital

Sexta-feira, 13/12/2019

imagem
imagem
imagem
imagem
imagem
imagem

Publicidade

btn-4

Indicadores

Milho Disponível R$ 25,00 -2,53%

Algodão R$ 115,19 1,09%

Boi a Vista R$ 130,50 0,00%

Soja Disponível R$ 68,80 0,00%

Publicidade

Classi fácil
btn-loja-virtual

Publicidade

Mais lidas

Publicidade

O Grupo Gazeta reúne veículos de comunicação em Mato Grosso. Foi fundado em 1990 com o lançamento de A Gazeta, jornal de maior circulação e influência no Estado. Integram o Grupo as emissoras Gazeta FM, FM Alta Floresta, FM Barra do Garças, FM Poxoréu, Cultura FM, Vila Real FM, TV Vila Real, o Instituto de Pesquisa Gazeta Dados, Gráfica Millenium e o Portal Gazeta Digital.

Copyright© 2019 - Gazeta Digital - Todos os direitos reservados Logo Trinix Internet

É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem a devida citação da fonte.