Publicidade

Cuiabá, Segunda-feira 30/11/2020

Judiciário - A | + A

Denúncia da ivermectina 21.10.2020 | 10h26

Juiz nega HC para que Possas de Carvalho retorne ao cargo

Facebook Print google plus

Chico Ferreira

Chico Ferreira

Luiz Antônio Possas de Carvalho, secretário de Saúde de Cuiabá

O juiz substituto do Tribunal de Justiça de Mato Grosso, Francisco Alexandre Mendes Neto, negou habeas corpus para suspender o afastamento do ex-secretário Saúde de Cuiabá, Luiz Antônio Possas de Carvalho.  A defesa de Possas de Carvalho alegava que as acusações são indevidas e amparadas em suposições, além de que não existiria provas concretas de que a sua permanência no cargo poderá prejudicar as investigação dos fatos.  

 

Porém, o magistrado alega que não houve nenhum abuso nas medidas cautelares impetradas contra Possas e que o mesmo decidiu deixar o cargo por vontade própria para não atrapalhar as investigações.  "Outrossim, não se constata prima facie qualquer prejuízo na espera do julgamento meritório do remédio heróico pelo juiz natural da causa, que é o Colegiado, mesmo porque, as informações já foram prestadas, faltando apenas a manifestação da Procuradoria-Geral de Justiça para inclusão do feito em pauta, a autorizar a conclusão de que o julgamento se avizinha e não fosse o pedido de tutela de urgência, já poderia ter sido, inclusive, realizado", diz trecho da decisão proferida nesta quarta-feira (21).    

 

Leia também - Barra do Garças completa 7 dias sem casos graves de covid-19

 

O magistrado também alega que o afastamento de Possas não causa prejuízo ao município, já que o prefeito nomeou uma nova secretária municipal de Saúde.  "Consoante se depreende da decisão judicial que deferiu as medidas cautelares, os indícios da ocorrência de crimes não derivariam unicamente do preço pago pelo medicamento, mas de possíveis irregularidades na fase interna do procedimento licitatório, todas devidamente pormenorizadas pela magistrada singular, ao que somou o fundado receio de frustração das investigações com base em elementos coletados no inquérito e que sugeririam a possível prática pelo paciente de atos posteriores ao início das investigações, justamente no intuito de mitigar as suspeitas por meio da manipulação de documentos", completa  o magistrado.    

 

Luiz Antônio Possas de Carvalho foi afastado do cargo no dia 1º de outubro durante  a Operação Overpriced, da Delegacia Especializada de Combate a Corrupção (Deccor) e do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco).

 

Ele foi afastado do cargo e teve seus bens bloqueados em até R$ 715 mil, o total registrado no superfaturamento. Porém, a magistrada já desbloqueou os seus bens em um pedido de reconsideração.  Possas é investigado por supostos desvios em licitações voltadas ao enfrentamento da covid-19.

Voltar Imprimir

Publicidade

Comentários

Enquete

Com o resultado da eleição, você acredita em uma Cuiabá melhor a partir de 2021

Parcial

Edição digital

Segunda-feira, 30/11/2020

imagem
imagem
imagem
imagem
imagem

Publicidade

btn-4

Indicadores

Milho Disponível R$ 61,50 -0,81%

Algodão R$ 126,42 0,73%

Boi à vista R$ 252,99 0,02%

Soja Disponível R$ 160,00 0,63%

Publicidade

Classi fácil
btn-loja-virtual

Publicidade

Mais lidas

Publicidade

O Grupo Gazeta reúne veículos de comunicação em Mato Grosso. Foi fundado em 1990 com o lançamento de A Gazeta, jornal de maior circulação e influência no Estado. Integram o Grupo as emissoras Gazeta FM, FM Alta Floresta, FM Barra do Garças, FM Poxoréu, Cultura FM, Vila Real FM, TV Vila Real 10.1, TV Pantanal 22.1, o Instituto de Pesquisa Gazeta Dados, Gráfica Millenium e o Portal Gazeta Digital.

Copyright© 2020 - Gazeta Digital - Todos os direitos reservados Logo Trinix Internet

É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem a devida citação da fonte.