Publicidade

Cuiabá, Segunda-feira 14/10/2019

Política de MT - A | + A

71 dias parados 05.08.2019 | 07h13

Deputado lamenta falta de diálogo do governo com grevistas

Facebook Print google plus

JLSiqueira/AL-MT

JLSiqueira/AL-MT

O deputado estadual Lúdio Cabral (PT) divulgou um vídeo em seu perfil no Facebook, em que critica o posicionamento do governo do Estado de não colaborar com o encerramento da greve dos servidores da educação, que já dura 71 dias. Além disso, conforme o deputado, o governo deixou claro que não quer diálogo, já que não marcou uma reunião para discutir o tema, e tampouco cumprir com as reivindicações dos trabalhadores.


“A maior greve de toda a história, isso é triste, é lamentável, é grave. Eu estou gravando este vídeo para atualizar um pouco do esforço que temos feito de buscar dialogo com o governo, para que o governo apresente uma proposta objetiva aos trabalhadores da educação”, diz Lúdio no começo do vídeo, sobre a reivindicação dos servidores da lei 510/2013, que fala sobre a dobra do poder de compra da categoria até 2024 e reajuste de 7.69% no ano de 2019.


Ainda nas imagens, Lúdio pontua que até o fim de sexta-feira, o governo “não mandou nenhum sinal” sobre quando irá se reunir novamente com os deputados, o que reflete a falta de compromisso.

 

Leia também - Governo promete pagar salários cortados para servidores que voltarem ao trabalho

 

“Todos se lembram, na segunda-feira (29) nós tivemos uma reunião com o governador e vários deputados. O governador assumiu o compromisso de na quinta-feira, ontem, voltar a se reunir conosco pra apresentar os números sobre o impacto financeiro que será produzido em 2020 pela lei de revisão das renuncias fiscais”, relembra.

 

Os profissionais da educação estão em greve desde o dia 27 de maio. Nesta semana, a greve foi considerada ilegal pelo TJ, que concedeu prazo até esta sexta-feira (2) para que os grevistas retornem às atividades.

 

“Pra mim, é muito claro qual é a escolha que o governo fez, que é de manter a intransigência, de enrolar os deputados estaduais. É de se negar ao diálogo contra os trabalhadores da educação, buscando usar do autoritarismo, do corte de salário. Já são 2 meses de salários cortados”, relembra.

 

O Estado pagaria os salários cortados dos servidores da educação que já voltaram aos trabalhos. O pagamento será feito em uma folha suplementar até 10 de agosto. Já para os grevistas que retornarem às escolas até segunda-feira (5), os dias descontados serão pagos em 15 e 30 de agosto.

 

O deputado ainda defende a luta dos trabalhadores da educação. “Vamos seguir na luta, ainda no esforço de diálogo, ainda no esforço de denuncia dessa situação gravíssima, para que o governo apresente uma proposta para os trabalhadores da educação e coloque a greve em condições de ser encerrada”.

 

Veja na íntegra o vídeo

 

Voltar Imprimir

Publicidade

Comentários

Enquete

O que você pensa sobre a CPI da Lava Toga?

Parcial

Edição digital

Segunda-feira, 14/10/2019

imagem
imagem
imagem
imagem
imagem
imagem

Publicidade

btn-4

Indicadores

Milho Disponível R$ 19,90 1,27%

Algodão R$ 89,86 0,38%

Boi a Vista R$ 132,44 0,57%

Soja Disponível R$ 66,25 0,38%

Publicidade

Classi fácil
btn-loja-virtual

Publicidade

Mais lidas

Publicidade

O Grupo Gazeta reúne veículos de comunicação em Mato Grosso. Foi fundado em 1990 com o lançamento de A Gazeta, jornal de maior circulação e influência no Estado. Integram o Grupo as emissoras Gazeta FM, FM Alta Floresta, FM Barra do Garças, FM Poxoréu, Cultura FM, Vila Real FM, TV Vila Real, o Instituto de Pesquisa Gazeta Dados, Gráfica Millenium e o Portal Gazeta Digital.

Copyright© 2019 - Gazeta Digital - Todos os direitos reservados Logo Trinix Internet

É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem a devida citação da fonte.